ASSINE

Ex-sócio da Telexfree é preso pela Polícia Federal no Rio de Janeiro

Determinação do ministro Ricardo Lewandowski abre caminho para os EUA pedirem a extradição de Carlos Nataniel Wanzeler. Ele estava passeando com a família em Búzios no momento da prisão

Publicado em 20/02/2020 às 22h27
Atualizado em 21/02/2020 às 15h03
Carlos Nataniel Wanzeler, sócio da Telexfree. Crédito: Divulgação
Carlos Nataniel Wanzeler, sócio da Telexfree. Crédito: Divulgação

O empresário Carlos Natanael Wanzeler, ex-sócio da Telexfree, foi preso nesta quinta-feira (20) em Búzios, no Rio de Janeiro. A prisão foi determinada pelo ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF) e cumprida pela Polícia Federal (PF).  O pedido de prisão foi feito pela Justiça dos Estados Unidos, onde Wanzeler é alvo de mandado de prisão por suspeita de fraudes.

Neta semana, o STF já havia mantido a perda de nacionalidade brasileira do ex-sócio da Telexfree, decisão que abria caminho para a extradição. Wanzeler chegou a ser preso no Espírito Santo em dezembro de 2019, junto de Carlos Costa, mas ambos foram soltos dias depois.

De acordo com informações do G1, o próximo passo é o Itamaraty informar sobre a detenção do suspeito ao governo norte-americano, ao qual caberá requerer a extradição dele. A intenção é que o empresário responda nos Estados Unidos pelos crimes dos quais é acusado.

Apenas no Brasil, de acordo com o processo do STF, tramitam na Justiça 11 mil ações civis apresentadas por pessoas físicas.  Além dessas ainda há mais 15 ações penais e uma ação civil pública, todas por conta da TelexFree.

O QUE DIZ A DEFESA

Segundo o advogado de Wanzeler, Rafael Lima, o cliente esteva em passeio com a família na cidade fluminense de Búzios quando foi surpreendido com a prisão. O ex-sócio da Telexfree foi levado para a Superintendência da Polícia Federal de Macaé e, de lá, transferido para a unidade de Campos.

Lima afirmou que não teve acesso à decisão do ministro Lewandowski, que decretou a prisão do cliente.

"Independente de toda sorte, temos posição completamente contrária à prisão, até porque a nova lei de imigração nega a extradição em caso de pessoas que respondem processo no Brasil e no exterior sobre os mesmos casos. Ninguém discute que os mesmos fatos pelos quais ele (Carlos Wanzeler) é acusado nos Estados Unidos são os mesmo do Brasil", disse.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Polícia Federal telexfree

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.