ASSINE

Dicas de quem deu novo rumo à carreira em plena crise da pandemia

Profissionais contam o que fizeram para conseguir uma oportunidade, ser promovido e até buscar novas realizações; todos têm em comum o protagonismo de suas carreiras

Publicado em 03/01/2021 às 07h27
ade Cenach Policiano Oliveira. Está no último ano de engenharia civil na Ufes. Passou por um  rigoroso processo de seleção de trainee da construtora. Agora ela está sendo treinada para assumir liderança.
Jade Cenach Policiano Oliveira conseguiu uma oportunidade de emprego . Crédito: Vitor Jubini

Coronavírus, isolamento social, home office, salário reduzido e mesmo desemprego. O ano de 2020 não foi fácil para o mercado de trabalho. Mas quem planejava dar um novo rumo na carreira não parou ou planos por causa desses obstáculos. Agora, eles contam como conseguiram o primeiro emprego, mudar de empresa ou dar um 'up' na vida profissional em plena crise da pandemia.

Todas as histórias têm em comum a persistência para subir os degraus do crescimento. Agora esses trabalhadores dão forças àqueles que desejam também um novo rumo. Se eles venceram no ano da crise, um dos mais difíceis da história, qualquer um poderá conseguir também alcançar novos objetivos em 2021, quando todo mundo acredita que a pandemia começará a suavizar com a chegada da vacina contra a Covid-19.

Para ajudar a definir esse planejamento, A Gazeta pediu ajuda para profissionais que foram promovidos, mudaram de ares e até conseguiram se recolocar no mercado durante a crise da pandemia do novo coronavírus. A característica comum a todos eles é a disposição de encarar desafios e acreditar em seus potenciais.

Há três meses a formanda em Engenharia Civil na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Jade Cenach Policiano Oliveira, 24 anos, passou por um rigoroso processo seletivo de trainee na construtora Metron. Ela assumiu o desafio na área de inovação e está sendo treinada para assumir um cargo de liderança no futuro.

Para a jovem, o mercado da construção civil não está movimentado e a maior preocupação dela era ficar desempregada depois de formada.

Jade Cenach Policiano Oliveira

Engenheira civil

"Vi vários colegas terminando a faculdade sem conseguir uma oportunidade e esse era meu maior medo. Soube da vaga e consegui ser aprovada neste que é o meu primeiro emprego. Todas as pessoas que participaram da seleção eram boas, mas acredito que o meu diferencial foi a forma em que eu me apresentei. Os recrutadores observam cada vez mais como você se comporta no ambiente de trabalho e como destaca as experiências que fizeram você se tornar o profissional que é hoje"

Jade relata que durante a entrevista procurou focar nas habilidades adquiridas no período de estágio. “A proposta do trainee é passar por todos os setores da empresa em um ano, até para eu conhecer como funciona os processos. Paralelo a isso, estou implantando o programa de inovação na empresa, faço reuniões com startups e fornecedores, além de treinar a equipe para criar essa cultura. Depois de um ano, serei contratada, mas ainda não sei para qual setor. A ideia é eu assumir um cargo de liderança em breve”, conta.

E a engenheira pretende não parar de se qualificar. Para 2021, ela já se prepara para fazer uma pós-graduação, possivelmente em gerenciamento de processos.

Fernanda Peroba, gerente de pessoas e processos da Viação Águia Branca
Fernanda Peroba, gerente de pessoas e processos da Viação Água . Crédito: Fernanda Peroba / Divulgação

A promoção de Fernanda Peroba, de 41 anos, veio há seis meses. Ela assumiu o cargo de gerente de pessoas e processos da Viação Águia Branca, após ocupar, por dez anos, a função de gerente de qualidade. “Cheguei onde queria estar, pois gosto de gente e do cuidado com as pessoas. Estou muito realizada”, friza.

A trajetória profissional de Fernanda dentro da empresa começou em uma função temporária como analista de qualidade, há 12 anos. Ela conta que desde o início procurou mostrar aos gestores que merecia ser efetivada e acabou conquistando a tão sonhada oportunidade, função que exerceu por dois anos. Depois disso, ela foi promovida a gerente de qualidade e agora assumiu um novo desafio. No cargo anterior, ela liderava cerca de 60 pessoas e hoje cuida de mais de 1.800 funcionários.

Fernada Peroba

Gerente de pessoas e processos

"Sempre tive a certeza que cabia a mim o protagonismo da minha carreira. É isso que todo o profissional precisa entender, de que a responsabilidade é dele e não da empresa ou de outras pessoas. Também é preciso ficar atento ao contexto da organização, ao mercado que ela atua, o produto e serviço que ela oferece. Com isso, você consegue enxergar as oportunidades e alinhá-las com as competência de que a companhia precisa"

Outra atitude fundamental, apontada pela gerente, é ter atenção aos momentos de crise. “Essas são etapas excelentes para que profissionais tenham oportunidade de crescimento, pois eles têm a possibilidade de mostrar o seu diferencial e agregar valor na função que ocupa. Estar alinhado aos valores da organização é uma peça fundamental neste processo”, afirma.

A atualização constante também faz parte da estratégia de crescimento de Fernanda. Ela acredita que entender as competências que precisa desenvolver ajuda a procurar especializações e cursos, por exemplo.

“Muita gente fala que eu sou estrategista com a minha carreira, mas o que procuro fazer é conhecer as dores da organização e trabalhar para desenvolver habilidades que possam ajudar no crescimento organizacional”, aponta.

Marilia Souza Ferreira, consultora de sucesso do cliente da Sankya
Marilia Souza Ferreira, consultora de sucesso do cliente da Sankya. Crédito: Ester Gonçalves / Divulgação

Quem também foi promovida durante a pandemia foi Marília Souza Ferreira, de 26 anos. No início de dezembro, a jovem assumiu o cargo de consultora de sucesso do cliente. A proposta, segundo ela, veio em setembro, mas ela precisava finalizar as tarefas da outra função. A moça está há dois anos na Sankya, empresa provedora de soluções integradas de gestão corporativa.

Marília foi contratada como analista de sistemas, apesar de ser formada em Ciências Contábeis e não entender nada de desenvolvimento de software.

“Quando fui contratada estava desempregada. Tinha pedido demissão porque estava em busca de algo que me identificasse. Procurei me dedicar ao máximo para aprender e entregar o melhor que podia. Depois de uma crise de ansiedade, recebi a proposta de mudança. Agora a minha função é revisitar os clientes e oferecer melhorias para eles. Acredito que não receberia essa promoção se a empresa não confiasse na minha capacidade de entrega”, relata.

Para Marília, a principal dica para quem quer ser promovido é não ter medo de tentar ou achar que não é capaz de assumir um novo cargo.

Marília Souza Ferreira

Consultora de sucesso do cliente

"Tornei-me referência dentro da organização porque nunca tive medo de tentar, mesmo quando não sabia determinado assunto. Se há identificação com os valores e propósitos da empresa, você vai sempre fazer o melhor trabalho possível e a promoção será apenas uma consequência"

MUDANÇA DE EMPREGO

Victor Hugo da Mota Pontes Bezerra, 30 anos, executivo comercial da Sankhya
Victor Hugo da Mota Pontes Bezerra, 30 anos, executivo comercial. . Crédito: Ester Gonçalves / Divulgação

O colega de trabalho de Marília, Victor Hugo da Mota Pontes Bezerra, 30 anos, sentia que não estava mais sendo desafiado nem tinha mais como crescer na empresa onde trabalhava por 7 anos. Foi quando ele decidiu dar novos voos e mudar de emprego. Acabou conseguindo a vaga como executivo de contas da Sankya.

O rapaz veio de Recife para o Espírito Santo, há três anos, para abrir mercado para uma outra companhia. Há um mês e meio ele recebeu a proposta para ter uma nova experiência profissional.

Victor Hugo da Mota Pontes Bezerra

Executivo de contas

"Sei que este é um momento difícil para muitas pessoas, mas estou feliz por conseguir esse desafio, que trouxe uma nova perspectiva profissional. É difícil sair da zona de conforto e sair dela vai depender de cada um. Caso sinta que precisa de novas experiências, vá em frente, na maioria das vezes, uma mudança faz bem, mesmo que a proposta salarial não seja a mais adequada. É preciso correr atrás e se desenvolver porque nada cai do céu"

Depois de 20 anos atuando na saúde pública, Paula Narciso, de 44 anos, aceitou a proposta para ocupar um cargo de liderança na iniciativa privada. Ela sempre assumiu funções de gestão, além de exercer a função de enfermeira.

Paula Narciso

Coordenadora de diagnósticos por imagem

"Trabalhei nas Prefeituras de Vitória e Serra, além do governo estadual. Cheguei a ter três vínculos diferentes ao mesmo tempo. Decidi largar tudo e tirar um período sabático. Dias depois, recebi a proposta para ir para a iniciativa privada. Neste momento, vi a chance de ver o resultado do trabalho na prática e aceitei o desafio"

Há um mês Paula assumiu o cargo de coordenadora de diagnósticos por imagem na LMule, empresa privada que atua dentro do Hospital Estadual de Urgência e Emergência, antigo São Lucas.

“A proposta veio junto com a possibilidade de crescimento. Acredito que a diretoria da companhia apostou na bagagem que tenho. Se eles apostaram em mim, porque eu não iria? Resolvi arriscar, sair da zona de conforto”, aposta.

DICAS PARA QUEM QUER DAR UM SALTO NA CARREIRA

A diretora da Rhopen, Jaciara Pinheiro, e a diretora da Psico Store, Martha Zouain, elaboraram dicas para quem quer fazer mudanças na carreira. Confira

  1. 01

    Reflexão

    Faça uma breve reflexão e compreenda a motivação para mudança de emprego ou busca de um novo lugar. É importante entender essa motivação para que a troca ou sua busca não gere desânimo, frustração ou arrependimento, e sim, que seja uma carreira de sucesso.

  2. 02

    Foco

    Tenha foco! Se questione: O que exatamente eu desejo? Em que área, negócio ou função? Quando estamos empregados e vivemos esse momento de (re)pensar a carreira, podemos enxergar várias possibilidades factíveis, por isso é importante ter foco.

  3. 03

    Qualificação

    Busque o desenvolvimento! Para esse "lugar" que você quer ir, quais são as hard skills e soft skills necessárias? Precisa de algum curso específico? Será necessário o apoio de algum profissional ou processo de mercado?

  4. 04

    Planejamento

    Tenha um bom planejamento! Entenda quais são as mudanças que serão feitas, os esforços que serão necessários e se organize para isso. Talvez essa busca vai demandar algum planejamento financeiro ou de tempo.

  5. 05

    Linkedin

    Cuide das suas redes sociais! Como está o Linkedin? A forma que você se apresenta nas redes sociais é condizente com a oportunidade que você deseja? Fique de olho nisso!

  6. 06

    Currículo

    Atualize seu currículo e observe as melhores práticas para participação de um processo seletivo dentro da empresa que atua ou externo a ela. É bacana se informar a esse respeito!

  7. 07

    Feedback

    Peça feedback sobre sua condição profissional atual! É importante que tenha clareza de seus talentos e oportunidades de melhoria também a partir dos olhos dos colegas, para que sua busca seja assertiva.

  8. 08

    Propósitos

    Fique sempre atento a sua relação com o trabalho! Busque algo que tenha relação com os demais propósitos da sua vida para que tenha uma carreira saudável e sustentável.

  9. 09

    Seleção

    Estar atento e bem informado a todas as etapas de um processo seletivo: Bom currículo, preparação para uma boa entrevista, atenção a sua imagem, e, considerar melhorias em todos eles. Peça opinião a pessoas que possam dar respostas sinceras sobre você e leia conteúdos a respeito, de fontes seguras.

  10. 10

    Proatividade

    Sair da zona de conforto e buscar de maneira proativa as oportunidades. Acione o seu networking, informe estar disponível para o mercado de trabalho e coloque-se a disposição para falar sobre suas competências.

  11. 11

    Corra atrás

    Não espere uma vaga ser divulgada para ir atrás dela. Se antecipe. Tenha claro que a maior parte das chances são tratadas de maneira confidencial até a contratação do profissional, uma porcentagem significativa de postos nem são anunciados.

  12. 12

    Atualização

    Se você tem um bom emprego e quer potencializar suas chances de crescimento: invista no seu desenvolvimento técnico para sempre. Mantenha-se atualizado em relação às tendências e novas tecnologias, faça cursos de especialização, MBA, mestrado, doutorado e outros que julgar relevantes para sua carreira. Enxergue sua carreira de maneira maior, desenvolva conhecimento de áreas afins também.

  13. 13

    Idioma

    Invista em seu domínio de idiomas. Inglês e espanhol podem não ser suficientes. Esteja atento para novas possibilidades.

  14. 14

    Comportamento

    Não se esqueça do seu desenvolvimento comportamental. Nenhuma empresa hoje admite ter em seu quadro um excelente técnico com problemas comportamentais. Competências técnicas são tão importantes quanto competências comportamentais, de relacionamento e performance.

A Gazeta Carreira Mercado de trabalho

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.