ASSINE

Decisão sobre reabrir shoppings será após o dia 24, diz Casagrande

O governador afirmou que ainda "não bateu o martelo", mas apontou que o retorno dessas atividades vai depender de protocolos rigorosos. Ele afirma que o mais provável é o que o mesmo também ocorra com as academias

Publicado em 14/05/2020 às 12h57
Atualizado em 14/05/2020 às 15h20
Data: 03/12/2019 - ES - Vitória - Movimentação de pessoas no Shopping Vitória - Editoria: Cidades - Foto: Ricardo Medeiros - GZ
Movimentação em shopping antes da pandemia. Crédito: Ricardo Medeiros

O governador Renato Casagrande explicou na manhã desta quinta-feira (14) que a decisão pela reabertura dos shopping centers no Espírito Santo deve ficar para depois do dia 24 de maio. A mesma medida, segundo ele, pode ser tomada para as academias.

“Com os shoppings, só vamos discutir com eles a possibilidade de retorno a partir do outro fim de semana. A partir do dia 24. Academia também é o mais provável”, afirmou em entrevista à rádio CBN Vitória.

Ainda de acordo com Casagrande, a reabertura será feita “de forma muito restrita e com protocolos muitos rigorosos”.

“Não está batido o martelo ainda, mas, a princípio, com os shoppings e academias teremos a discussão do protocolo semana que vem, para ter atividades com protocolos rigorosos funcionando a partir da outra semana”, disse.

Ambos setores estão com as atividades paralisadas desde o dia 18 de março, ou seja. há quase dois meses. Esses locais foram os primeiros a serem impedidos de funcionar na tentativa de frear o avanço do novo coronavírus no Estado.

Enquanto ao comércio de rua foi concedida a autorização para uma reabertura na última segunda-feira (11), ainda que alternada e com restrições, o mesmo não aconteceu com os shoppings e as academias.

“Nesses dias teremos reuniões com eles. Estamos sensíveis com as questões deles. Por isso a agente aponta uma possibilidade mais concreta a partir do dia 24 e teremos essa semana para discutir mais o protocolo”, avaliou o governador.

O temor das autoridades sanitárias é de que esses espaços acelerem a propagação do vírus porque muitos deles são fechados, com ar-condicionado, além de promoverem naturalmente a aglomeração de pessoas.

Nas academias, há ainda o risco de espalhar o vírus através da respiração e do compartilhamento de aparelhos e equipamentos diversos.

MEDIDAS MAIS RÍGIDAS DE CONTROLE

As academias enviaram no mês passado um ofício ao governo do Estado propondo medidas de controle de entrada e de intensificação da limpeza nos locais utilizados pelos alunos durante a pandemia.  Entre elas estão a medição de temperatura de quem entrar no local, distanciamento em aulas coletivas e durante a orientação dos exercícios e limite de alunos por metro quadrado. Segundo o documento, há 1,3 mil academias no Estado que estão paradas por conta do novo coronavírus o que traz "grande prejuízo e abalo ao setor".

A Gazeta também entrou em contato com representantes dos shoppings, mas setor ainda não se pronunciou. Assim que houver um posicionamento, essa matéria será atualizada.

Renato Casagrande cbn vitoria Comércio Shoppings

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.