Crea cobra resposta de fabricante de caixas-d'água para concluir perícia

O acidente ocorreu no dia 30 de dezembro. Dois reservatórios de água desabaram em um condomínio em Cariacica. Uma pessoa morreu e dezenas de moradores foram afetados

Vitória
Publicado em 22/01/2021 às 17h23
Atualizado em 22/01/2021 às 17h23
Trabalho de retirada da caixa d'água do Residencial São Roque I, em Padre Gabriel, Cariacica
Trabalho de retirada da caixa d'água do Residencial São Roque I, em Padre Gabriel, Cariacica . Crédito: Fernando Madeira

A empresa paulista fabricante das duas caixas-d'água que caíram em um condomínio no bairro São Gabriel,  em Cariacica, ainda não se manifestou a respeito do ocorrido. Segundo o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo (Crea-ES),  essa é a informação que falta para finalizar o laudo sobre as causas do acidente, que aconteceu em 30 de dezembro, no Condomínio Residencial São Roque. Na ocasião, uma pessoa morreu e dezenas de famílias foram afetadas.

As duas torres d'água, de 15 metros de altura cada uma, foram fabricadas pela empresa Carmaço Reservatórios, que tem sede no interior de São Paulo. Em nota divulgada em 08 de janeiro, a empresa afirmou que foi responsável pelo projeto estrutural, fabricação e montagem dos reservatórios, mas que a construtora executou a instalação hidráulica.

O Crea-ES afirma que a falta de resposta por parte da fabricante das estruturas impede que o laudo seja concluído. "Apesar de receber notificação do Crea-ES, a empresa paulista, responsável por projetar, produzir e montar as torres-d’água, não retornou ao chamamento do Conselho e não se posicionou sobre o ocorrido, o que impossibilita a conclusão do relatório final. Um novo prazo foi concedido para que a empresa se manifeste e forneça os esclarecimentos necessários para que a instituição possa finalizar as atividades de averiguação do desastre", disse em nota.

A entidade capixaba chegou a pedir ajuda ao Conselho de São Paulo, onde a empresa está sediada, para poder agilizar o processo. Porém, ainda não obteve nenhum avanço.

As unidades habitacionais fazem parte do programa Minha Casa Minha Vida do governo federal e foram entregues cerca de duas semanas antes do acidente. 

"Desde o ocorrido, uma equipe multidisciplinar de especialistas do Conselho, nas áreas de Engenharia Civil, Mecânica e de Segurança do Trabalho, com o apoio da Unidade de Fiscalização, tem levantado informações para apurar as causas, razões e responsabilidades do acidente, realizando vistorias técnicas no local, solicitando cópias de projetos, verificando os nomes dos profissionais responsáveis técnicos e das empresas envolvidas, elaborando perícias e relatórios técnicos", informou o Crea-ES.

OUTROS LAUDOS AINDA ESTÃO EM ANDAMENTO

Além do Crea-ES, a construtora responsável pela obra, a Cobra Engenharia, também está investigando o acidente. Em nota, a empresa informou que o prazo para conclusão do laudo é de 30 a 60 dias, desde a data de perícia, que ocorreu na primeira semana de janeiro.

"A Cobra engenharia informa que os moradores do Condomínio São Roque estão com o sistema de abastecimento de água regularizado em seus respectivos apartamentos. As reformas da parte estrutural, que começaram no dia 10 de janeiro estão em estágio avançado e a previsão de conclusão no condomínio São Roque I é no dia 25 de janeiro. Depois desta data os moradores que continuam no hotel poderão regressar para seus apartamentos. As obras do São Roque II têm previsão para serem concluídas no dia 12 de fevereiro", informou por nota.

A reportagem de A Gazeta procurou a Carmaço Reservatórios, que afirma ter contratado um engenheiro perito para atuar no caso, mas que a empresa ainda não se manifestou. Assim que responder, este conteúdo será atualizado.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.