ASSINE

Auxílio de R$ 600: saiba como usar conta digital para pagar boletos

Clientes precisarão utilizar aplicativo da Caixa para transferir o valor do auxílio emergencial para outra instituição financeira ou pagar contas

Publicado em 10/04/2020 às 12h23
Aplicativo do caixa em que é feito o pedido do auxílio emergencial
Pessoa utiliza o aplicativo para se cadastrar e receber o auxílio emergencial. Crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Começou a ser paga nesta quinta-feira (9) a primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600 do governo federal. Mas se engana quem pensa que poderá passar num caixa eletrônico para sacar a quantia já na semana que vem. Isso porque o dinheiro estará barrado para saques, sendo permitido, inicialmente, o seu uso de forma digital. Somente no Espírito Santo, cerca de 800 mil pessoas devem ter direito ao benefício.

Isso quer dizer que as pessoas que receberem os R$ 600 poderão fazer o pagamento de boletos, transferências para outras contas e até outros bancos. A única ação que ainda está impedida é o saque propriamente dito.

Segundo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, a expectativa é que o calendário de saques esteja disponível a partir do fim abril – quando duas das três parcelas do auxílio emergencial já estarão pagas.

Segundo o presidente do conselho consultivo da Associação de Bancos do Espírito Santo (Arbes), Jorge Eloy Domingues, as contas digitais já estão no mercado há algum tempo e, de uma maneira geral, facilitaram muito a vida dos usuários do sistema bancário.

Normalmente, elas são voltadas para usuários do sistema financeiro que utilizam poucos serviços físicos nos bancos – como constantes visitas aos caixas eletrônicos e agências bancárias.

“O grande benefício desse tipo de conta é que você consegue abri-la sem precisar ir numa agência. Todos os documentos podem ser enviados pela internet, com fotos dos documentos que venham a ser necessários. A única coisa que o cliente precisa fazer é a ativação da conta, que varia de instituição para instituição”, explicou Domingues.

No mercado nacional existem bancos que exigem que a ativação da conta seja feita num caixa automático, outros, porém, apenas enviam um código numérico para um telefone cadastrado pelo cliente e, com esse código no aplicativo do banco, o usuário faz a ativação sem precisar sair de casa.

A Caixa foi questionada sobre qual deveria ser o modelo de ativação a ser determinado para essas poupanças digitais. A  instituição, porém, não respondeu até a publicação desta matéria. Se alguma resposta for enviada este texto será atualizado.

APLICATIVO PASSA A SER ESSENCIAL PARA O CLIENTE

Como o dinheiro do auxílio emergencial não estará disponível para saques logo que o valor for enviado para as pessoas, o aplicativo da Caixa – banco que irá efetuar os pagamentos – será essencial para que as pessoas tenham acesso ao benefício.

Deverá ser por meio do aplicativo que os clientes poderão fazer as transferências bancárias e pagamento de boletos – seja com ajuda da câmera, fotografando o código de barras, ou digitando o código do boleto no aplicativo.

No lançamento do aplicativo de cadastro para o auxílio emergencial, a Caixa informou que a Poupança Social Digital é uma conta aberta de forma automática em nome do beneficiário. O acesso é realizado pelo app Caixa Tem, que deve ser baixado por meio da loja de aplicativos do smartphone. Ela dispensa a apresentação de documentos, é isenta de cobrança de tarifas de manutenção e permite ao menos uma transferência eletrônica de valores ao mês, sem custos, para conta bancária mantida em qualquer instituição financeira.

Segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), as demais instituições bancárias irão assegurar que os beneficiários tenham livre acesso à movimentação do auxílio de R$ 600 pelos canais com os quais já tenham familiaridade (como o uso do mesmo cartão e da mesma senha que já possuem), sem nenhum impedimento ou complexidade adicional para esta movimentação.

A Febraban também informou que, tendo em vista o objetivo do programa de minimizar os efeitos da pandemia sobre o orçamento das famílias, as transferências realizadas com origem na Caixa, exclusivamente relativas ao valor do auxílio de R$ 600, serão isentas de tarifas de TED e DOC na sua integralidade, por todo o período do programa.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.