ASSINE

Vacina contra Covid salvou mais de 2 mil vidas no ES, aponta estudo

Coordenado pelo Instituto Jones dos Santos Neves, estudo traz resultados observados em todas as faixas etárias; idosos estão entre os que mais tiveram vidas preservadas

Vitória
Publicado em 10/09/2021 às 20h38
Covid: Boa Esperança vacina público a partir dos 18 anos
Vacinação contra a Covid salvou vidas. Crédito: Pixabay

Pelo menos 2.469 vidas foram salvas no Espírito Santo pela vacina contra a Covid-19. É o que aponta um estudo coordenado pelo Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) e divulgado pelo Núcleo Interinstitucional de Estudos Epidemiológicos (NIEE).

O cálculo foi feito observando as variações nas porcentagens de mortes com o início da vacinação. De acordo com o coordenador do NIEE, Pablo Lira,  à medida que as vacinas foram sendo aplicadas nas pessoas por faixas etárias, "constatou-se uma redução de óbitos naquele grupo que estava sendo imunizado".

Com isso, buscou-se projetar quantas vidas estavam sendo preservadas com a vacinação. Para chegar até esse número, os pesquisadores levaram em conta a tendência de mortes em cada uma das faixas etárias desde o início da pandemia até o dia 10 de julho. Os dados foram retirados do Painel Covid-19 do governo do Estado.  

"A gente estimou qual seria o número de mortes caso não houvesse vacinação, supondo que as proporções de óbitos continuassem constantes. E aí encontramos uma diferença de quase 2.500 mortes, que é o número aproximado de vidas que foram salvas no Espírito Santo por causa da vacinação", destacou Lira. 

Para a projeção, foram considerados todos os registros de casos confirmados no Estado a partir da primeira semana epidemiológica em que foram registrados mais de 100 óbitos (26/04/20).

O cálculo é conservador, segundo o coordenador do NIEE, já que foram considerados os dados de mortes até julho deste ano, quando apenas os mais idosos haviam recebido a segunda dose da vacina. Esse grupo etário, inclusive, está entre os que mais tiveram as vidas preservadas, de acordo com resultados de um estudo anterior coordenado pelo instituto.

"A variação na queda de mortes foi maior entre os mais idosos", destacou Pablo Lira, pontuando que o número de vidas preservadas tende a aumentar em todas as faixas etárias à medida que a vacinação avança no Estado.

"A gente já evoluiu bastante desde julho, por isso essa projeto ainda vai ser atualizada. De lá para cá, tivemos um aumento da população que recebeu a segundo dose. A tendência é que o número de vidas preservadas por causa da vacina seja bem maior do que 2.469 e aumente cada vez mais. Por isso, é tão importante se vacinar e completar o esquema vacinal", frisou.

O QUE É O NIEE?

O Núcleo Interinstitucional de Estudos Epidemiológicos (NIEE) é composto pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesa), Corpo de Bombeiro da Militar do Espírito Santo (CBMES), Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) e Laboratório de Epidemiologia da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), sob coordenação do IJSN.

O Núcleo foi criado devido à necessidade de adoção de ações coordenadas para enfrentamento da emergência em saúde pública de importância estadual e internacional, decorrente da pandemia do coronavírus e tem por objetivo subsidiar as decisões do Poder Executivo Estadual nas medidas de enfrentamento de emergências em saúde pública.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.