ASSINE

Pessoas com baixa imunidade terão dose de reforço contra a Covid-19 no ES

A medida foi anunciada na edição desta sexta-feira (10) do Diário Oficial do Espírito Santo; capixabas com limitações no sistema imunológico (imunossuprimidos) vão tomar a terceira dose da vacina

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 10/09/2021 às 10h36
Vacinação dos profissionais de saúde, veterinários e agentes funerários com 60 anos ou mais de idade, que estão na ativa, na Clínica da Família Estácio de Sá, na região central da cidade. O município do Rio de Janeiro ampliou hoje (27) o público-alvo da campanha de vacinação contra a covid-19.
Imunossuprimidos terão dose de reforço no ES. Crédito: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Capixabas com limitações no sistema imunológico (imunossuprimidos) vão tomar a terceira dose ou dose de reforço da vacina contra a Covid-19. A estratégia foi anunciada na edição desta sexta-feira (10) do Diário Oficial do Espírito Santo.

De acordo com Comissão Intergestores Bipartite (CIB), a aplicação será destinada a indivíduos com alto grau de imunossupressão e deverá ser administrada 28 dias após a última dose do esquema vacinal, independente do imunizante aplicado.

A preferência é que seja usada a vacina da Pfizer. Os imunobiológicos da Janssen ou Astrazeneca também serão uma alternativa.

Na publicação, entre outros fatores, os membros consideraram que o avanço da vacinação contra a Covid-19 no Estado “reduziu de maneira significativa a ocorrência de casos graves e óbitos pela Covid-19”, e também, o fato de que as pessoas com “alto grau de imunossupressão apresentaram menor proteção pelo esquema padrão da vacinação aos mais diversos tipos de imunizantes”.

QUEM SERÁ ATENDIDO

  • Imunodeficiência primária grave. 
  • Quimioterapia para câncer. 
  • Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras. 
  • Pessoas vivendo com HIV/Aids com CD4 <200 céls/mm3. 
  • Uso de corticoides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias. 
  • Uso de drogas modificadoras da resposta imune, conforme anexo único. 
  • Pacientes em hemodiálise. 
  • Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas (reumatológicas, auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias).

Como comprovação para a vacinação deverá ser apresentado um dos documentos abaixo relacionados, além do documento de identificação com foto.

  • Laudo médico indicando a comorbidade; 
  • Declaração do enfermeiro do serviço de saúde onde o usuário faz tratamento indicando a comorbidade;
  • Adicionalmente, poderão ser utilizados os cadastros já existentes dentro das Unidades de Saúde;
  • A data do documento comprobatório deverá ser de 2018 em diante, ou seja, dos últimos 3 (três) anos, para condições permanentes e 90 dias para condições adquiridas e transitórias. Os serviços de vacinação deverão reter a cópia.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.