ASSINE

Síndica de prédio é primeira a fazer teste em casa de Covid-19 em Vitória

Moradora e síndica de um edifício no bairro Jardim camburi, em Vitória, a autônoma Lucimar Carvalho Miguel participou da primeira etapa de coleta de amostras aleatórias por domicílio, que servirá para a elaboração do inquérito sorológico

Publicado em 13/05/2020 às 12h19
Atualizado em 13/05/2020 às 12h19
Profissionais de saúde fazem testes por amostragem para saber qual a proporção de contaminados no Estado. O primeiro bairro de Vitória foi Jardim Camburi
Lucimar Carvalho Miguel foi testada na manhã desta quarta-feira (13) e o resultado deu negativo para a Covid-19. Crédito: Ricardo Medeiros

Os testes por amostragem em domicílios para a elaboração do inquérito sorológico sobre o avanço do novo coronavírus no Espírito Santo começaram a ser realizados pelo governo do Estado nesta quarta-feira (13). Logo no início da manhã, agentes epidemiológicos das 19 cidades selecionadas para esta primeira etapa de coleta foram às casas selecionadas aleatoriamente para a coleta do material.

Em Vitória, a primeira moradora a participar dos testes foi a autônoma Lucimar Carvalho Miguel. Surpreendida pela abordagem inesperada, ela se disse satisfeita com o procedimento implementado e explicou que o teste é realizado rapidamente e de maneira indolor.

"Sou a síndica aqui do condomínio onde resido e estava no portão do prédio quando a equipe chegou, me abordou e perguntou se eu gostaria de participar. Prontamente aceitei e fiz. Foi tudo muito rápido, só foi preciso um furinho no dedo e pegaram uma amostra de sangue. Em uns 15 minutos já tinham o resultado e felizmente deu negativo (para o coronavírus)", salientou.

Profissionais de saúde fazem testes por amostragem para saber qual a proporção de contaminados no Estado. O primeiro bairro de Vitória foi Jardim Camburi
Profissionais de saúde fazem testes por amostragem para saber qual a proporção de contaminados no Estado. O primeiro bairro de Vitória foi Jardim Camburi. Crédito: Ricardo Medeiros

Com o resultado já em mãos, a síndica agora espera que as amostras coletadas e os resultados das mesmas possam auxiliar no combate à Covid-19.

"A população tem que fazer a parte dela. Faço a minha e vejo como fundamental essa ação. Penso que haverá receptividade com os agentes. Aqui no prédio praticamente todos queriam ser testados, mas sei que existe uma metodologia própria para a seleção das pessoas e das casas", complementou.

A primeira etapa de coleta de amostras em domicílios prossegue até a próxima sexta-feira (15). O governo do Estado fará ainda outras três jornadas às residências para colher informações mais robustas da doença e posteriormente desenvolver novas estratégias de combate ao coronavírus.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.