ASSINE

Santa Maria de Jetibá registra maior acumulado de chuva do ES em 24h

Em seguida, Santa Teresa registrou 57,43 milímetros e a Serra, no terceiro lugar no ranking da chuva, acumulou 54,97 milímetros; as informações foram divulgadas pelo Cemaden

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 09/02/2021 às 19h18
Atualizado em 09/02/2021 às 19h18
Chuva deixa casas alagadas e famílias desalojadas em Pedro Canário
Em Pedro Canário, 8 pessoas estão desalojadas por conta da forte chuva . Crédito: Prefeitura Municipal de Pedro Canário

O município de Santa Maria de Jetibá foi o que registrou o maior acumulado de chuva no Espírito Santo em 24h, levando em consideração o período de 17h de segunda-feira (8) até as 17h desta terça (9), com 58,09 milímetros.

Em seguida, Santa Teresa registrou 57,43 milímetros e a Serra, em terceiro lugar no ranking da chuva, acumulou 54,97 milímetros. As informações foram divulgadas pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) no boletim extraordinário da Defesa Civil Estadual.

Acumulado de chuva em 24h nos municípios do ES
Acumulado de chuva em 24h nos municípios do ES. Crédito: Divulgação | Defesa Civil ES

Ao todo, 16 municípios têm alertas vigentes classificados como moderado para risco de movimento de massa ou risco hidrológico. São eles: Santa Teresa, Vitória, Vila Velha, Cariacica, Marechal Floriano, Pancas, Santa Maria de Jetibá, Governador Lindenberg, João Neiva, Santa Leopoldina, Ibiraçu, Viana, Fundão, Bom Jesus do Norte, São José do Calçado. O município da Serra está em risco alto para movimento de massa.

Para a quarta-feira (10), o Cemaden considera moderada a possibilidade de ocorrências de movimentos de massa para as regiões Sul e Central do Estado, devido aos elevados acumulados observados nos últimos dias que podem ser incrementados pela previsão de pancadas de chuva no decorrer do dia.

Ainda que a previsão meteorológica não indique acumulados expressivos como o dos últimos dias, o Cemaden afirma que o cenário atual ainda requer atenção especial para as localidades com os acumulados prévios mais elevados, especialmente na Serra. O boletim mostra, ainda, que 14 pessoas estão desalojadas na Serra e 8 em Pedro Canário.

COMO FUNCIONA A MEDIÇÃO DA CHUVA

A medida usada para medir o volume da chuva é em milímetros por metro quadrado. É só imaginar um quadrado de um metro por um metro com um litro de água dentro. O líquido vai subir até a marca de 1mm. Claramente falando, um milímetro de chuva equivale a um litro de água por metro quadrado. Por exemplo: se choveu 50mm, seriam 50 litros de água em cada metro quadrado.

A unidade de medida utilizada para verificar os acumulados de chuva é o milímetro
A unidade de medida utilizada para verificar os acumulados de chuva é o milímetro. Crédito: Samar Meteorologia

O período da chuva também é importante. Chover 50 litros de água durante um dia inteiro pode ter um impacto menor do que chover a mesma quantidade de uma vez só, somente em uma hora.

E como podemos medir a chuva em uma cidade grande? Equipamentos chamados de pluviômetros, que estão espalhados por vários pontos da cidade, vão indicar o quanto choveu - e, só então, esses dados vão permitir as comparações das quantidades de chuva por dia, mês e ano.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.