ASSINE

Número de mortes por Covid-19 cresce na Grande Vitória, alerta Sesa

Aumento até o momento foi de 30% na Região Metropolitana na comparação com a quinzena anterior, mas crescimento pode ser maior; entenda o risco

Publicado em 20/09/2021 às 16h51
Nésio Fernandes em coletiva de 20/9/2021
Nésio Fernandes em coletiva de 20 de setembro. Crédito: Reprodução/Redes sociais

A região metropolitana da Grande Vitória registrou um aumento de 30% no número de mortes provocadas pela Covid-19 na última quinzena, comparada aos 15 dias anteriores. O crescimento mantém o alerta epidemiológico que a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) já havia anunciado quando os indicadores da doença no Espírito Santo interromperam a tendência de queda. 

Os dados foram apresentados em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (20) pelo secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, que apontou para o risco de o número de mortes no período ser ainda maior. Ele disse que foram registrados 49 óbitos na última quinzena frente à 39 na anterior. Contudo, as mortes lançadas no sistema nesta e na próxima semana ainda poderão ser contabilizadas, considerando que a confirmação do óbito por Covid-19 pode se dar até 15 dias após o falecimento do paciente.  

"De fato, temos uma região de saúde com aumento importante de óbitos pela Covid-19", constatou Nésio Fernandes, acrescentando que esse crescimento pode ser explicado por diversos fatores como o fato de a maior parte da população ainda não ter recebido as duas doses de vacina para reduzir a circulação do vírus; a falta da prática do distanciamento e uso do de máscara; e a presença das variantes Gama e Delta, mais infecciosas,  que apresentam risco grande tanto para o público jovem quanto para os já vacinados. 

O aumento de casos, sobretudo na Grande Vitória e no Sul, também preocupa. Nésio Fernandes apontou que havia uma tendência de crescimento nas duas regiões, interrompida no feriadão do início do mês (7 de setembro). Porém, nesses períodos de folga prolongada, em geral, também há uma redução na testagem. Assim, segundo o secretário, será necessário monitorar os registros de positividade ao longo dos próximos 15 dias para avaliar se essa interrupção foi artificial, causada pela baixa testagem. 

No Sul, por exemplo, as internações cresceram e a taxa de ocupação das UTIs para Covid-19 da região já alcança 86%.

"Precisamos compreender que a pandemia não acabou. Não temos o número de internações do período mais crítico do ano passado e do início deste ano, no entanto, cinco ou seis capixabas ainda perdem a vida todos os dias para a Covid-19", advertiu o secretário. Ele reforçou a importância de a população se vacinar e manter os protocolos de segurança para prevenir a infecção.  No Espírito Santo, mais de 12 mil pessoas já morreram em decorrência da Covid-19. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.