ASSINE

Moradores seguem ilhados dois meses após cheia do Rio Doce em Linhares

Desde o dia 14 de janeiro, quando a cheia do Rio Doce rompeu em um trecho da estrada de Cacimbas, crianças não têm ido para a escola e produtores rurais não conseguem escoar produção

Tempo de leitura: 2min
Colatina
Publicado em 30/03/2022 às 19h59
75 dias após cheia do Rio Doce, moradores continuam ilhados em Linhares
Mais de dois meses após cheia do Rio Doce romper estrada, moradores de Cacimbas, em Linhares, permanecem ilhados. Crédito: Juliano Gomes

Já se passaram mais de dois meses desde que a cheia do Rio Doce rompeu em um trecho da estrada de Cacimbas, em Linhares, no Norte do Espírito Santo, e interditou a via. Desde 14 de janeiro deste ano, quando o fato ocorreu, moradores da comunidade estão ilhados e o único jeito de atravessar é de barco ou por outra estrada, 80 km mais distante do centro do município. Crianças que vivem na comunidade não têm ido para a escola e os produtores rurais não conseguem escoar a produção.

Um vídeo registrado em janeiro por telespectadores da TV Gazeta Norte mostra dois homens se arriscando ao caminhar pela água até um ponto que não dá mais para avançar. Em um certo momento, é até difícil identificar onde começa e termina a estrada. O cenário não mudou.

75 dias após cheia do Rio Doce, moradores continuam ilhados em Linhares
Imagem registrada nesta terça-feira (29) mostra que estrada continua alagada. Crédito: Juliano Gomes

Segundo os moradores, a situação se repete há nove anos, sempre quando chove. “Ficamos ilhados desde 2013. Buscamos providências da prefeitura e da Petrobras, mas uma joga a responsabilidade para a outra”, afirmou o produtor rural Jorge Monteiro em entrevista ao repórter Tiago Félix, da TV Gazeta Norte.

Um desvio foi feito pela Petrobras, responsável pela via, dentro de uma propriedade particular. Mas, com a cheia do Rio Doce deste ano, o trecho também foi destruído. A interdição torna uma simples ida ao mercado um grande transtorno.

“Atravesso com a bicicleta no barco, contando com ajuda de outras pessoas para a travessia. Um trajeto que poderíamos fazer rapidinho, mas vivemos nessa luta até para fazer uma compra. Se alguém passar mal, nem sabemos o que fazer”, disse a dona de casa Jocimara da Silva.

75 dias após cheia do Rio Doce, moradores continuam ilhados em Linhares
Moradores usam barcos para conseguirem atravessar trecho alagado em Linhares. Crédito: Juliano Gomes

Para os produtores rurais da região, são meses de prejuízo. “Nós estamos meses sem transportar nada, porque não tem como sair. Esse é o nosso melhor acesso”, disse à TV Gazeta o produtor rural Naitônio Pires.

O QUE DIZ A PREFEITURA

Por nota, a Prefeitura de Linhares informou que o município mantém diálogo com a Petrobras para tratar das obras necessárias para a recuperação do referido trecho, e disse que realiza rotineiramente ações paliativas como o patrolamento e o melhoramento da via.

A administração municipal ainda destacou que, na terça-feira (29), a Petrobras apresentou um projeto de recuperação do trecho à Prefeitura de Linhares e à Associação de Produtores Rurais da região.

O QUE DIZ A PETROBRAS

Segundo apuração da TV Gazeta, a Petrobras explicou que está utilizando a rodovia e, na falta de atuação do poder público, fez reparos emergenciais na estrada para assegurar a passagem das equipes e da comunidade. Mas reforçou que o entendimento de que a estrada citada é uma via pública, cabendo ao poder público manter as condições de trafegabilidade e implementar melhorias solicitadas pela comunidade.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.