ASSINE

ES vai credenciar laboratórios particulares e pagar R$ 160 para exames PCR

Valor será pago pela Secretaria de Estado da Saúde pela realização de cada exame PCR na rede particular para o SUS. Segundo a Sesa, o Laboratório Central do Espírito Santo (Lacen) "extrapolou a sua capacidade de pesquisa para diagnóstico da Covid-19"

Publicado em 04/12/2020 às 07h32
Atualizado em 04/12/2020 às 07h32
Lacen já realizou mais de 120 mil testes da Covid-19
Lacen já realizou mais de 600 mil testes da Covid-19. Crédito: Governo do Estado/Divulgação

Com 15 mil exames que detectam a Covid-19 represados devido ao aumento de demanda, o governo do Espírito Santo decidiu credenciar laboratórios privados, que poderão prestar o serviço de coleta e processamento dos testes PCR para pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).

Em uma portaria publicada nesta quinta-feira (3), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) definiu que vai pagar o valor fixo de R$ 160 pela realização de cada exame PCR na rede particular para o SUS , caso haja laboratórios particulares interessados. Na rede privada, o paciente paga mais de R$ 300 por cada teste desse, que é o que detecta se o coronavírus está ativo no organismo.

LACEN "EXTRAPOLOU A SUA CAPACIDADE"

Na portaria, a Sesa aponta que o Laboratório Central do Espírito Santo (Lacen) "extrapolou a sua capacidade de pesquisa para diagnóstico da Covid-19". O Estado vive um crescimento do número de casos confirmados da doença nas últimas semanas. A alta demanda fez com que a Sesa suspendesse por 21 dias o teste de Covid-19 para pessoas sem sintomas.

O grupo, que havia sido incluído recentemente numa estratégia do governo de ampliação de testagem para a doença, é aquele formado por quem convive com pacientes infectados confirmados, chamado de contato intradomiciliar, e que são assintomáticos.

Desde o início da pandemia até esta quinta-feira (26), já foram realizados mais de 648 mil testes pelo Laboratório Central do Espírito Santo (Lacen), incluindo até então os casos intradomiciliares.

Este vídeo pode te interessar

governador Renato Casagrande, em entrevista para A Gazeta nesta quinta-feira (3), admitiu que há testes represados no Lacen. São cerca de 15 mil testes, segundo a assessoria de Casagrande, dos quais 6 mil estão perto de ser liberados – embora não tenha sido apresentado um prazo. "Há represamento. Temos testes atrasados porque estamos com dificuldades em obter insumos. Nosso problema não é a quantidade, mas a necessidade de reagentes e outros insumos e estamos com dificuldades para adquirir no mercado nacional e internacional", pontua o governador.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.