ASSINE

ES tem 354 casos confirmados de gestantes com coronavírus

Deste número, 81 mulheres foram contabilizadas enquanto estiveram no primeiro trimestre da gravidez, 133 no segundo trimestre, 119 no terceiro semestre e 21 casos tiveram idade gestacional ignorada

Publicado em 05/07/2020 às 19h16
Atualizado em 05/07/2020 às 19h23
Gravidez na adolescência
354 grávidas do ES contraíram a doença. Crédito: Divulgação

De acordo com dados atualizados neste domingo (5) do Painel Covid-19, que vem sendo divulgado pelo Governo do Estado desde o início da pandemia, há 354 casos confirmados de gestantes que contraíram a doença causada pelo novo coronavírus no Espírito Santo. Deste número, 81 mulheres foram contabilizadas enquanto estiveram no primeiro trimestre da gravidez, 133 no segundo trimestre, 119 no terceiro semestre e 21 casos tiveram idade gestacional ignorada.

Com o total de casos entre grávidas, a reportagem de A Gazeta conversou com especialistas para entender quais cuidados as mulheres nesta condição devem ter para não contraírem a Covid-19, e que medidas podem ser tomadas para evitar que a doença evolua. De acordo com o infectologista Lauro Ferreira Pinto, as gestantes não apresentam riscos maiores de infecção em relação a outras pessoas. "A gravidez por si só não é indicativa de grupo de risco para esta doença", afirmou.

Apesar disso, o médico explicou que o final da gestação deve ser observado com maior cautela. "Até onde a gente sabe, não há muitos estudos publicados sobre algum risco maior de gestantes serem infectadas pela Covid, como existe, por exemplo, com a gripe. O próprio caso da H1N1 apresentava um risco maior para este grupo", disse.

Lauro Ferreira Pinto

Infectologista

"Claro que existe um pouco mais de cautela no final da gestação, porque a capacidade respiratória é menor neste período, com diminuição da capacidade pulmonar, já que a barriga aumenta por causa da expansão do útero"

No mesmo sentido, a médica infectologista Polyana Gitirana frisou que a gestação, por si só, não é fator de risco para a Covid-19. "Devem-se ter cuidados pela própria gestação, mas é diferente da influenza. Os cuidados são os mesmos da população em geral, com higienização frequente e uso de máscaras", pontuou.

ÚLTIMOS MESES DA GESTAÇÃO

De acordo com Lauro, qualquer doença respiratória traz maiores preocupações nos últimos meses gestacionais. "A mulher respira com mais dificuldade nesta fase. De maneira geral, o sistema de saúde tem mais cuidado com as grávidas. Outra observação é para quando nasce o neném, em que não deve haver restrição à amamentação. Se já deu à luz e tem Covid, a mãe deve amamentar de máscara", finalizou.

Por outro lado, Gitirana afirma que benefícios podem ser observados pelas gestantes, já que desde o início da pandemia foi a elas concedido o direito ao home office, com a permanência em domicílio e possibilidade de suspensão do contrato de trabalho. 

Polyana Gitirana

Infectologista

""O que já foi definido de fato é a incidência maior de parto prematuro entre gestantes com a Covid, mas não se sabe exatamente a causa"

De acordo com ela, a gestação aumenta a predisposição a doenças pulmonares, devido à vasodilatação, com o aumento do fluxo sanguíneo. "A mãe respira pelo bebê também, então há sobrecarga pulmonar. Com a barriga crescendo, ela acaba restringindo um pouco o diafragma, não tem tanta expansão do tórax. Apesar disso, friso que não percebo desfechos mais graves, não há definição clara de associação entre a gravidez e o coronavírus. O que temos são cuidados especiais com as gestantes pelas condições fisiológicas inerentes ao período".

ES REGISTRA MAIS 569 CASOS EM 24 HORAS

O Espírito Santo chegou aos 53.393 casos e 1.803 mortes por coronavírus (Covid-19) na tarde deste domingo (5). As informações são do Painel Covid-19, da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), que mostrou que apenas nas últimas 24 horas a doença infectou 569 pessoas e resultou em 22 óbitos.

Entre os municípios mais afetados, Vila Velha permanece como líder no ranking do Estado, com 8.643 registros da doença, seguido pela Serra (8.241), Vitória (8.100) e Cariacica (5.822). Já entre bairros, Jardim Camburi, na Capital, é o que mais tem casos confirmados de Covid-19, com 1.048 pessoas infectadas.

Com relação aos pacientes curados também houve um aumento no Espírito Santo. Ao todo, 33.839 pessoas conseguiram vencer a batalha contra o coronavírus. A taxa de letalidade no Estado é de 3,38% e, até agora, 118.678 testes para detectar a doença já foram realizados em todo o Estado.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Governo do ES SESA Coronavírus Coronavírus no ES Covid-19 gestação gravidez Pandemia Isolamento social

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.