ASSINE

ES completa um mês com taxa de transmissão da Covid abaixo de 1

Indicador demonstra que o ritmo da pandemia está desacelerando no Estado; julho deve fechar como o terceiro mês consecutivo de queda na média de mortes

Publicado em 16/07/2021 às 17h02
Taxa de transmissão da Covid-19 no ES - semana 25/6
Taxa de contágio em queda no Espírito Santo: desaceleração da pandemia. Crédito: Divulgação/NIEE

Espírito Santo chegou a quatro semanas seguidas com a taxa de transmissão da Covid-19  abaixo de 1, ou seja, completou um mês num patamar que demonstra que o ritmo da pandemia está desacelerando. 

O dado, da semana epidemiológica de 25 de junho, mostra que o Estado estava com taxa de contágio de 0,79. Isso significa dizer que, a cada 10 pessoas infectadas pelo Sars-Cov-2 (coronavírus), outras oito poderiam ser contaminadas. Na Grande Vitória, o indicador era de 0, 73 - seis semanas abaixo de 1 - e no interior, 0,83. 

Pablo Lira, diretor de Integração do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) e membro do Núcleo Interinstitucional de Estudos Epidemiológicos (NIEE), ressalta que, mesmo com a já esperada oscilação positiva na Região Metropolitana, o importante é manter o indicador abaixo de 1. 

A taxa de transmissão é resultado de um cálculo matemático baseado nos casos e mortes por Covid-19 e, para ter os dados estabelecidos, é divulgada de 14 a 21 dias depois da semana epidemiológica avaliada. 

"É o tempo necessário para consolidar o cálculo do modelo da taxa, e quando o indicador está abaixo de 1, como o registro mais recente, demonstra que a transmissão está perdendo força. Estamos conseguindo manter uma redução sustentada", afirma. 

MORTES

A tendência de taxa reduzida deve se manter, considerando os dados mais atualizados da média móvel de mortes. Indicador desta quinta-feira (15) apontava 11,36 óbitos, na média dos 14 dias, aproximando-se do menor patamar que o Espírito Santo já registrou na pandemia, que foi próximo de 8, em outubro do ano passado. Já são 14 semanas seguidas de redução no número de mortes, e 16 na quantidade de casos da doença. 

Média de mortes por Covid - 15/7
A média móvel de mortes apresenta tendência de redução há 14 semanas. Crédito: Divulgação/NIEE

Pablo Lira estima ainda que, se o Espírito Santo mantiver a média de mortes da primeira quinzena de julho, o mês vai se encerrar como o terceiro consecutivo com queda no número de óbitos. A previsão mais conservadora, segundo ele, é de redução de 35 a 39% em comparação a junho. 

A melhoria dos indicadores é reflexo, na avaliação do diretor do IJSN, do período mais restritivo adotado pelo governo estadual em março, com a quarentena, e da expansão de leitos. Com essas medidas, afirma Pablo Lira, o sistema de saúde do Espírito Santo não entrou em colapso, o que teria comprometido a assistência das pessoas infectadas e poderia ter elevado o número de mortes.

Além disso, observa ele, o Estado tem se destacado na vacinação, com ritmo que o mantém sempre nas primeiras posições no ranking de imunização do país. No levantamento desta quinta-feira (15), o Espírito Santo estava em terceiro lugar, com 17,15% da população com o esquema completo de vacinação - duas doses ou dose única. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.