ASSINE

Em conversa com Casagrande, Bolsonaro garante compra de todas as vacinas

Segundo o governador Renato Casagrande, que participou de uma reunião no Palácio do Planalto na tarde desta segunda-feira (14), Jair Bolsonaro  vai assinar médida provisória para liberar recursos e comprar as vacinas

Publicado em 14/12/2020 às 19h20
Atualizado em 15/12/2020 às 05h46
Reunião do governador Renato Casagrande com o presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto, nesta segunda-feira (14)
Reunião de Bolsonaro e Casagrande. Crédito: Palácio do Planalto

A medida provisória para abrir crédito de R$ 20 bilhões para a compra de vacinas contra a Covid-19 deverá ser assinada ainda nesta segunda-feira (14) pelo presidente Jair Bolsonaro. A informação é do governador Renato Casagrande que participou de uma reunião no Palácio do Planalto na tarde desta segunda-feira (14).

“Ele afirmou que assinaria a MP para comprar todas as vacinas, sem nenhuma exceção, autorizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). E afirmou ainda que fará um plano de imunização que inclui todas as vacinas”, explicou Casagrande, acrescentando que Bolsonaro reafirmou que a vacinação não será obrigatória. “Ele reafirmou que a posição dele é pela não obrigatoriedade da vacina”, relatou.

Mas Casagrande avalia que a imunização deveria atingir todos os brasileiros. “Quem não está imunizado pode passar para outra pessoa que às vezes tem algum tipo de fragilidade. Minha posição pessoal é a posição da obrigatoriedade. Mas eu tenho que respeitar a posição do presidente da República, que tem uma outra posição", assinalou.

Foi ainda proposta a Bolsonaro, em nome de todos os governadores, uma ampliação da capacidade de produção da Fiocruz, que trabalha com a vacina AstraZeneca. “Foram contratados para fazer 500 mil doses/dia e podem fazer um milhão de doses por dia. Os insumos podem ser obtidos pela via diplomática, com a Índia, que produz a mesma vacina”, relatou.

Reunião do governador Renato Casagrande com o presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto, nesta segunda-feira (14)
Reunião de Bolsonaro e Casagrande. Crédito: Palácio do Planalto

ANVISA

A Anvisa divulgou, também nesta segunda, que estabeleceu prazo de 10 dias para avaliação de pedidos de uso emergencial de vacinas no país. 

Procurada pela reportagem, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) informou, por nota, que "assim que a vacina for disponibilizada ao Estado, pelo Ministério da Saúde, a vacinação será realizada".

GARGALOS LOGÍSTICOS

Na reunião com Bolsonaro, Casagrande tratou ainda sobre demandas para a infraestrutura do Estado. Ele pediu ajuda do presidente para viabilizar investimentos no Corredor Ferroviário Centro Leste, que poderá trazer mais cargas de Goiás para o Espírito Santo, como grãos. A ideia é que as obras sejam incluídas no contrato da renovação da concessão da Ferrovia Centro Atlântica (FCA), concedida à VLI.

O governador também pediu a Bolsonaro agilidade do governo federal na concessão da BR 262, que deve ser leiloada em 2022. O projeto prevê a duplicação total da ferrovia, juntamente com a BR 381/MG. Em ambos os pleitos, o presidente se comprometeu em levar os pedidos para discussão interna no governo.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.