ASSINE

Covid-19: em apenas cinco dias, 150 leitos são ocupados em hospital do ES

"Como o Renato (Casagrande, governador) disse outro dia: a gente dá um passo, a doença alcança o calcanhar. No mês de junho pode agarrar a cintura", alertou o secretário de Estado de Saúde, Nésio Fernandes

Publicado em 02/06/2020 às 08h14
Atualizado em 02/06/2020 às 11h57
Ambulâncias fizeram fila na porta do Hospital Vila Velha neste sábado
Ambulâncias fizeram fila na porta do Hospital Vila Velha neste sábado . Crédito: André Falcão/TV Gazeta

Mesmo com a ampliação do número de leitos de UTI e de enfermaria, a rede hospitalar do Espírito Santo segue cada vez mais pressionada pelo avanço do coronavírus. Na Grande Vitória, a taxa de ocupação de UTI para Covid-19 chegou a 90% nesta segunda-feira (01).

Como um dos exemplos dessa pressão, o Estado anunciou, no dia 20 de maio, a contratação de 190 leitos (40 de UTI e 150 de enfermaria) no Vila Velha Hospital. Em cinco dias, a ocupação dos leitos alugados pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) nesse hospital particular de Vila Velha chegou a 80%, ou seja, 150 vagas das 190 já estavam preenchidas nesse curto período de tempo. Hoje, pouco mais de 10 dias depois, todos os leitos de UTI contratados pela Sesa no Vila Velha Hospital para atendimento de pacientes com coronavírus já estão ocupados.

"Abrimos 190 leitos no hospital  e em quatro... cinco dias foi para 80% de ocupação dos leitos. Essa semana vamos abrir um conjunto de leitos novamente em outros hospitais e, não tenho dúvidas, vai encher rápido. Porque a força de transmissão da doença é muito rápida. Como o Renato (Casagrande, governador) disse outro dia: a gente dá um passo, a doença alcança o calcanhar. No mês de junho pode agarrar a cintura", alertou o secretário de Estado de Saúde, Nésio Fernandes, durante uma live com o prefeito de Baixo Guandu, Neto Barros.

Ao todo, o Estado do Espírito Santo tem 541 leitos de UTI para coronavírus e 612 de enfermaria, entre hospitais próprios e parcerias com instituições privadas e filantrópicas. A taxa de ocupação de UTIs para a Covid-19 está em 82,44% no Estado todo, mas na Grande Vitória esse índice chegou a 90,45%. Na transmissão pela internet, o secretário também afirmou que o mês de junho será complexo no enfrentamento ao coronavírus.

"A tendência é que nas próximas semanas um número grande de municípios fique vermelho, entrando em risco alto. Porque, com o aumento de diagnósticos, a propagação acelerada da doença e ocupação hospitalar sendo pressionada, vamos precisar obrigatoriamente estar reconhecendo o risco desses municípios e restringindo as atividades econômicas e sociais, seguindo a matriz. Em junho, a tendência é que caminhe para um aumento grande do risco. Mês de junho será muito complexo, de pressão gigantesca em que a gente possa ter que tomar medidas ergulhas no nosso Estado", disse Nésio.

No dia que marcou o retorno das atividades dos shoppings, o Espírito Santo atingiu a marca de 14.285 casos e 628 mortes por Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. De acordo com as informações atualizadas no Painel Covid-19, da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), na tarde desta segunda-feira (01), só nas últimas 24 horas foram registrados 595 novos pacientes infectados e 24 óbitos

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.