ASSINE

Corpo de criança morta pela mãe na Serra continua à espera de liberação

Problemas financeiros impedem que a família da vítima saia da Bahia e chegue ao Espírito Santo para liberar o corpo de Gabriel, morto aos 7 anos

Tempo de leitura: 2min
Publicado em 08/03/2022 às 16h03
Corpo do homem foi encaminhado para o Departamento Médico Legal (DML) de Vitória.
Departamento Médico Legal (DML) de Vitória. Crédito: Manoel Neto

O corpo do menino de 7 anos que foi morto pela mãe e encontrado debaixo de uma cama no domingo (6) em Nova Carapina II, na Serra, segue à espera de liberação no Departamento Médico Legal (DML) em Vitória. Segundo apuração do repórter Diony Silva, da TV Gazeta, questões financeiras impedem que a família da vítima saia da Bahia e chegue ao Espírito Santo. O avô da criança disse que uma tia de Gabriel, que mora em Nova Almeida, deve ser responsável pelos trâmites. Ainda não se sabe, no entanto, quando e onde o corpo será sepultado.

Em contato com a TV Gazeta, o avô da criança, que é pai de Drielle Figueiredo Pires, disse que ficou chocado com a notícia de que o neto teria sido morto pela filha dentro de casa. Afirmou ainda que tinha intenção de sepultar o pequeno Gabriel no interior da Bahia, mas que, por problemas de saúde e dificuldades financeiros, isso não será possível. O avô, chamado Antônio, cuida de um outro neto de 14 anos.

Polícia encontrou criança morta em casa no bairro Nova Carapina, na Serra
Polícia encontrou criança morta em casa no bairro Nova Carapina, na Serra. Crédito: Diony Silva

A TV Gazeta esteve na manhã desta terça-feira (8) no DML e confirmou que o corpo da criança segue à espera de liberação. Nenhum familiar foi encontrado na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em Vitória.

JUSTIÇA DECRETOU PRISÃO PREVENTIVA DE DRIELLE

Drielli Figueiredo Pires, de 28 anos, teve prisão preventiva decretada na segunda-feira (7), durante audiência de custódia realizada pela Justiça capixaba, após ter sido presa em flagrante no domingo (6). A mulher, que confessou o crime,  teve decretado o encaminhamento para hospital psiquiátrico, antes da ida para a prisão.

Driele Figueiredo Pires, de 28 anos, que está grávida de oito meses, confessou aos policiais militares ter assassinado o próprio filho
Driele Figueiredo Pires, de 28 anos, que está grávida de oito meses, confessou aos policiais militares ter assassinado o próprio filho. Crédito: Vitor Jubini

Na decisão da juíza Raquel de Almeida Valinho, consta que a suspeita tirou a vida do filho, tendo enrolado o corpo em um pano e colocado embaixo da cama, "na intenção de ocultar o cadáver". O menino teria sido morto sufocado na frente de duas outras crianças, de 6 e 2 anos.

Drielli tem dois registros criminais prévios, sendo um termo circunstanciado por maus-tratos e outro termo por ameaça, ambos ainda em trâmite no Judiciário.

A defesa de Drielli Figueiredo Pires, feita pelo advogado Pedro Ramos, comunicou, por meio de nota, que "se reservará no direito de analisar o caso e manifestar-se no desenrolar do processo, asseguradas as garantias constitucionais da mesma [sic]".

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais
Dhpp Dml Serra Vitória (ES) crianca crime

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.