ASSINE

Suspeitos de invadir fazenda, fazer família refém e matar gado são presos no ES

Quatro suspeitos de envolvimento do crime, que aconteceu em maio de 2021, foram alvos de mandados de prisão e de busca e apreensão nesta terça-feira (8)

Tempo de leitura: 4min
Vitória
Publicado em 08/03/2022 às 11h51
Criminosos invadiram sítio em Cariacica e mataram animais
Animais foram mortos na fazenda. Crédito: Imagem obtida pela TV Gazeta

Quatro homens foram presos em municípios da Grande Vitória, nesta terça-feira (8), suspeitos de terem invadido uma fazenda na zona rural de Cariacica e feito sete membros de uma mesma família reféns. O crime aconteceu em maio de 2021. Na ocasião, os criminosos também mataram um boi e vacas, levaram a carne dos animais e ainda roubaram frangos, eletrodomésticos, ferramentas, celulares e dinheiro.

A ação foi realizada pela Delegacia Especializada Antissequestro (DAS) da Polícia Civil e, além dos quatro mandados de prisão, mandados de busca e apreensão  foram cumpridos.

Quatro suspeitos de envolvimento na invasão a fazenda em Cariacica foram presos
Arma apreendida durante a operação policial. Crédito: Divulgação/PCES

A Operação Boca do Mato contou com apoio da Delegacia Especializada em Delitos de Trânsito (DDT), do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), da Guarda Municipal de Cariacica e da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Estado (Sesp).

Durante coletiva de imprensa na tarde desta terça-feira (8), o secretário de segurança do Estado, coronel Alexandre Ramalho, afirmou que as propriedades rurais são extensas, por isso há dificuldade na fiscalização dos crimes. O secretário pediu apoio da população para denunciar os crimes e a venda de produtos ou carnes roubadas.

De acordo com o delegado Maurício Gonçalves, as prisões foram efetuadas no início da manhã, tendo sido os suspeitos pegos de surpresa. O delegado informou ainda que não houve resistência no momento da prisão e que os investigados negaram participação no crime. Um quinto suspeito de participar da ação já estava preso por outros crimes.

"Há um fator humano envolvido no crime. Pessoas com liberdade restringida foram amarradas, agredidas, com crianças e adolescentes. Indivíduos entrando e saindo da residência, obrigando a família a cozinhar, fazer café. A violência psicológica precisa ser considerada", disse o delegado.

RELEMBRE O CASO

Bandidos armados invadiram a Fazenda Boca do Mato, zona rural de Cariacica e fizeram sete pessoas da mesma família reféns. Os criminosos também mataram um boi, quatro vacas, levaram a carne dos animais e ainda roubaram frangos, eletrodomésticos, ferramentas, celulares e dinheiro.

A ação dos quatro criminosos terminou por volta das 4h desta quarta-feira (5) e gerou prejuízo de cerca de R$ 38 mil. Um adolescente de 17 anos, filho do responsável pelo cuidado dos animais, foi amarrado e agredido com coronhadas nas costas.

O dono da propriedade é o engenheiro-agrônomo Antônio Carlos Cesquim Diniz, de 61 anos. Ele foi secretário de Agricultura de Cariacica na gestão do ex-prefeito Juninho (2013 a 2016 - 2017 a 2020). Na hora do crime, ele não estava no imóvel.

Antônio contou que o caseiro estava na fazenda com a esposa e cinco filhos – um adolescente de 17, uma menina de 15 anos, e outros meninos de 2, 4 e 10 anos. Por volta das 18h, o caseiro ouviu os cachorros latindo e saiu da residência para ver o motivo.

Antônio Carlos Cesquim Diniz

Dono da fazenda

"Quatro bandidos chegaram na casa do vaqueiro. Dois estavam armados e o renderam. Outros dois entraram pelo outro lado da casa. Eles mandaram ele entrar e renderam a família. Deixaram todos abaixados e ordenaram que ninguém que olhasse para eles. Um filho do vaqueiro, de 17 anos, respondeu algo que os bandidos não gostaram e foi agredido com coronhadas nas costas"

Enquanto estavam rendidas, as vítimas ouviam barulho de carros na propriedade. Segundo Antônio, um dos criminosos disse que o bando era composto por pelo menos 11 pessoas. Do lado de fora, os comparsas foram até o curral onde estavam os animais. A golpes de machado, eles mataram um boi e quatro vacas.

Ainda no local, eles cortaram quatro bovinos e roubaram a carne. Uma das vacas não foi levada. Os restos dos animais ficaram na fazenda. Do terreno, eles ainda pegaram ao menos seis frangos vivos, roçadeira, cela, caixas de som, ferramentas, micro-ondas, celulares, bicicleta e cerca de R$ 1 mil que pertencia a um dos filhos do caseiro.

O engenheiro-agrônomo contou que os quatro ladrões se revezavam. Enquanto dois mantinham a família refém, outros dois saíam da casa e iam até o curral. A suspeita é que eles auxiliavam os parceiros, pois voltavam sujos para o imóvel. Neste intervalo, comeram uma carne de boi que estava na panela, na cozinha da casa dos reféns.

"A família está abalada, mas passa bem. Com os animais, o prejuízo foi cerca de R$ 30 mil. Contando com os demais objetos, foram mais R$ 8 mil. Espero que o governo cumpra o seu papel e faça a investigação e que prenda essas pessoas. Esses criminosos estão fazendo isso em várias partes do Estado", comentou o engenheiro, na ocasião.

O assalto registrado na Fazenda Boca do Mato em maio de 2021 não havia sido o primeiro ocorrido no imóvel. Em 2008, bandidos roubaram 109 animais vivos. Após investigação, o gado foi localizado em um terreno em Ecoporanga, Noroeste do Estado. Do total, 105 foram recuperados e levados de volta à propriedade rural.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.