ASSINE

Coronavírus: ES tem sequência de recordes de pior isolamento

O isolamento chegou a 44,15%. Entre os dias 02 e 08 de julho, segundo o Painel Covid-19, a média estadual alcançou os três piores índices em toda a pandemia

Publicado em 09/07/2020 às 20h32
Atualizado em 09/07/2020 às 20h46
Vila Velha - ES - Praia de Itaparica. Ciclone atinge sul do Brasil e efeitos podem chegar na costa capixaba.
Distanciamento social é a melhor forma de combate, já que não há vacina ou remédio comprovadamente testado. Crédito: Vitor Jubini

Foram necessários apenas sete dias para a população capixaba demonstrar novamente o descaso com as medidas de combate à Covid-19. Neste período, compreendido entre os dias 02 e 08 de julho, último registro da taxa de isolamento, segundo o Painel Covid-19, a média estadual alcançou os três piores índices em toda a pandemia. O isolamento chegou a 44,15% nesta quarta-feira (8), o menor em toda a pandemia. Os recordes negativos obtidos acontecem em meio ao avanço do novo coronavírus no Espírito Santo e no Brasil.

Antes do intervalo observado pela reportagem, a média diária mais baixa havia sido registrada no dia 10 de junho, há quase um mês. Naquela data o índice chegou a 44,38%. Ou seja, mais da metade dos capixabas haviam saído de casa.

No último dia 02 de julho, o Espírito Santo chegou a 44,33%. Mesmo que a diferença entre os dois menores números seja pequena, evidencia a falta de comprometimento do capixaba com o isolamento, haja vista que no período entre as duas datas os casos de coronavírus aumentaram.

Já no dia 06 de julho, ainda no início da semana, o número foi ainda menor: 44,21% de isolamento entre os capixabas. O menor número em toda a pandemia foi registrado nesta quarta (8): 44,15%.

A média estadual nesta quinta-feira (9) é de 47,97%. Portanto, segundo os dados da Sesa, mais da metade dos capixabas ainda saem de casa diariamente.

O registro contraria as recomendações da Organização Mundial da Saúde e do própria Governo do Espírito Santo. O recomendado é que a taxa de isolamento seja de, no mínimo, 70% - para diminuir o risco de contágio, impedindo o avanço do novo coronavírus. Desde o dia 13 de abril, data em que começou a ser divulgada a taxa de isolamento, o Espírito Santo não chegou a atingir 60%.

O número de pessoas fora de casa compreende profissionais como enfermeiros, médicos, fisioterapeutas, embaladores de supermercados e outros tantos. Por outro lado, a taxa também reflete a atividade dos indivíduos que saem de casa sem máscara, várias vezes por semana, sem necessidade.

CORONAVÍRUS NO ES

O Espírito Santo chegou, nesta quinta-feira (9), aos 60.009 casos confirmados e 1.929 mortes por Covid-19, segundo os dados do Painel Covid-19. Nas últimas 24h foram 1.472 novas pessoas infectadas e 18 óbitos.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.