ASSINE

ES registrou pior índice de isolamento em toda a pandemia na última quinta

No dia 02/07, Estado registrou 44,33% de isolamento, menor número contabilizado desde que os dados passaram a ser divulgados diariamente pelo governo, em 13 de abril

Publicado em 07/07/2020 às 12h05
Atualizado em 07/07/2020 às 12h21
Vila Velha - ES - Praia de Itaparica. Ciclone atinge sul do Brasil e efeitos podem chegar na costa capixaba.
Pessoas frequentando a praia de Itaparica, em Vila Velha, durante a pandemia. Crédito: Vitor Jubini

Espírito Santo teve, na última semana, o pior índice de isolamento social da população desde o início da pandemia do novo coronavírus. No dia 02/07, o governo do Estado registrou 44,33% de isolamento, o menor número contabilizado desde que os dados passaram a ser divulgados diariamente, em 13 de abril, no painel de isolamento. O pior índice anterior havia sido registrado em 10/06, quando o Estado registrou um isolamento social de 44,38%.

A informação foi disponibilizada somente nesta segunda-feira (6), pois o site em que números são divulgadas estava sem receber os dados desde o dia 29/06. Isso porque, segundo o governo do Estado, um login utilizado para acesso e transferência das informações para o painel havia expirado e, por uma falha técnica das operadoras, a renovação da adesão seria realizada somente nesta segunda (6).

Nos dias seguintes a 02/07, quando foi registrado o pior índice, os números mostraram recuperação. Em 03/07, o isolamento se manteve praticamente o mesmo, com 44,39%. Mas, no fim de semana, como de costume, os números foram maiores: 47,52% no sábado (4) e 55,32% no domingo (5).

Ainda assim, os dados estão longe do índice recomendado pelo próprio governo do Estado, que é de 70% de isolamento social. Os números são contabilizados por meio dos dados informados pelas quatro principais operadoras telefônicas do país e repassados aos respectivos Estados e municípios.

FALSA SENSAÇÃO DE NORMALIDADE

Mesmo com o número de casos e óbitos se mantendo, e até aumentando nas últimas semanas, está sendo comum ver praias e calçadões lotados nos fins de semana. Segundo especialistas ouvidos por A Gazeta, o individualismo, já presente na sociedade brasileira antes da pandemia; e a pressão psicológica imposta pelo confinamento, seriam os fatores observados durante o desrespeito ao isolamento social.

De acordo com a última atualização da Secretaria de Estado da Saúde, nesta segunda-feira (6), o Espírito Santo chegou aos 54.547 casos e 1.836 mortes por Covid-19. Nas últimas 24 horas até a divulgação dos dados, foram registrados 1.154 casos e 33 óbitos.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.