ASSINE

Casagrande volta a criticar politização da vacina contra a Covid-19

Governador disse que polêmica sobre imunizantes não permite dizer quando a população brasileira terá acesso a eles, e que 2021 pode ser todo de vacinação

Vitória
Publicado em 18/11/2020 às 19h15
Atualizado em 18/11/2020 às 20h37
Governador do Espírito Santo, Renato Casagrande deu o pronunciamento após uma reunião com entidades
Governador do Espírito Santo, Renato Casagrande fez o pronunciamento após uma reunião com entidades. Crédito: Reprodução

No pronunciamento realizado na tarde desta quarta-feira (18), o governador Renato Casagrande (PSB) voltou a criticar a politização criada em torno das vacinas contra a Covid-19, especialmente no Brasil; e concluiu que, por causa dessas polêmicas, não é possível afirmar quando algum imunizante estará disponível para a população.

Renato Casagrande

Governador do Espírito Santo

"A vacina não chegou ainda e a polêmica em torno da vacina no Brasil não nos permite dizer quando vai chegar, porque todos os temas da pandemia foram politizados até agora"

Anteriormente, em uma entrevista concedida para a Rede CBN no final de outubro, ele já tinha criticado posições do governo federal que iam contra as orientações de autoridades de saúde, e alertado que a ausência de uma coordenação nacional  em uma campanha pelo Ministério da Saúde poderia custar vidas.

"Em um assunto que resolve a questão da pandemia, liberta o brasileiro desse vírus e salva vidas, nós estamos um passo atrás (...) Agora, mais do que nunca, estamos fazendo um apelo junto ao governo federal para que possamos deixar de lado assuntos políticos e ideológicos", afirmou Casagrande à época.

Nesse sentido, o governador do Espírito Santo aproveitou o pronunciamento desta tarde para ressaltar aos capixabas que, quando a vacina chegar, ela não estará disponível para todos de forma simultânea e que, inevitavelmente, a convivência com a pandemia do novo coronavírus ainda deve durar "muito tempo".

Renato Casagrande

Governador do Espírito Santo

"É preciso que a gente compreenda que poderemos passar 2021 todo vacinando a população"

Nessa terça-feira (17), o secretário estadual de saúde Nésio Fernandes já tinha adiantado que a vacinação completa dos primeiros grupos prioritários levaria, pelo menos, mais oito meses. A declaração foi dada pelas redes sociais, em meio a um cenário de otimismo em relação à eficácia das vacinas.

Durante esse período, tanto o secretário quanto o governador reforçaram a importância das regras de distanciamento social. "O que nós estamos pedindo é que continuem com os cuidados, como o uso de máscara, da não aglomeração e da higiene, porque esse é o único caminho que nós temos agora", disse Casagrande.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.