ASSINE

Bares de Linhares são interditados após promoverem aglomeração

Segundo o Ministério Público, em cada caso de descumprimento, os proprietários dos estabelecimentos terão de pagar multa de R$ 40 mil

Rede Gazeta
Publicado em 09/06/2021 às 10h13
Linhares Norte do ES
Linhares Norte do ES. Crédito: Prefeitura de Linhares/Divulgação

Dois bares de Linhares, no Norte do Espírito Santo, tiveram o funcionamento suspenso e foram interditados por promoverem aglomerações e descumprirem restrições na pandemia. Segundo o Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), em cada caso de descumprimento, os proprietários terão de pagar multa de R$ 40 mil.

A decisão surgiu após o ajuizamento de denúncias pelo MPES, por meio da Promotoria de Justiça Criminal de Linhares. Para o MPES, os denunciados violaram o artigo 268 do Código Penal, por infringir determinação do poder público destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa durante a pandemia de Covid-19.

Na denúncia, o MPES relata que os proprietários, de forma livre e consciente, permitiram o funcionamento dos dois estabelecimentos no dia 15 e na madrugada do dia 16 de maio, promovendo aglomeração e descumprindo os Decretos nº 4593-R, nº 4636-R e nº 4769-R, do governo do Estado, e o Decreto nº 898, do município de Linhares, que ainda estavam em vigor naquela ocasião.

Além de fotos de aglomerações no local, o MPES demonstrou que os estabelecimentos já tinham recebido determinações anteriores do poder público municipal - sendo que um dos locais chegou a ser interditado, enquanto o outro foi autuado pela prefeitura -, por manterem as atividades e causarem aglomeração durante a pandemia.

DENÚNCIAS CONTRA AGLOMERAÇÃO EM LINHARES

Em abril e maio de 2021, a Promotoria de Justiça Criminal de Linhares ajuizou 14 denúncias em desfavor de estabelecimentos que promoveram aglomerações no município.

Já a 1ª Promotoria de Justiça Cível de Linhares, de março de 2020 até maio de 2021, instaurou e tramitou 22 procedimentos extrajudiciais que envolviam o descumprimento de medidas sanitárias e administrativas de prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos decorrentes da pandemia da Covid-19 por estabelecimentos comerciais.

Também foram expedidas Notificações Recomendatórias e ajuizada uma Ação Civil Pública com o fim de interdição total dos locais de maior incidência de denúncias e comprovação de descumprimento.

Ao descumprirem as portarias, decretos estaduais e municipais, promovendo aglomeração, os proprietários dos estabelecimentos incorrem no crime previsto no artigo 268 do Código Penal, que determina detenção, de um mês a um ano, e multa para quem infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa.

Além de responderem às sanções previstas no dispositivo legal, em razão da gravidade dos fatos, o MPES requereu ressarcimento, a título de danos morais e materiais, no valor de R$ 40.000,00 em cada um dos fatos denunciados. Esse montante será destinado ao Fundo Estadual de Saúde para combate à Covid-19.

CORONAVÍRUS EM LINHARES

Segundo dados do Painel Covid-19, da Secretaria de Estado da  Saúde (Sesa), Linhares registrou, até o momento, 24.411 casos confirmados da doença, 23.670 casos curados e 362 óbitos.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Linhares Covid-19 linhares ES Norte

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.