ASSINE

As ações em Mantenópolis após ser 1ª cidade do ES a voltar ao risco alto

Em entrevista à Rádio CBN Vitória, o secretário municipal da Saúde de Mantenópolis deu detalhes das medidas adotadas pelo prefeito, que divulgou uma portaria na última segunda-feira (7) anunciando regras e até multa para quem descumpri-las

Vitória
Publicado em 08/12/2020 às 19h54
Atualizado em 09/12/2020 às 11h54
Mapa foi divulgado pelo Governo do Estado
Mantenópolis é o primeiro município do ES a voltar ao risco alto para transmissão do novo coronavírus. Crédito: Divulgação/ Governo do Estado

O município de Mantenópolis, na Região Noroeste do Espírito Santo, foi o primeiro a voltar ao risco alto para a transmissão do novo coronavírus no último mapa de risco divulgado pelo governo do Estado na última sexta-feira (4). Além do aumento de cidades em amarelo no mapa, o Estado capixaba voltou a ter, depois de quase três meses, um município em vermelho

Em entrevista à Rádio CBN Vitória (92,5 FM) na tarde desta terça-feira (8), o secretário municipal da Saúde de Mantenópolis respondeu aos questionamentos do âncora do CBN Cotidiano, Fábio Botacin. Ele ainda falou sobre as ações feitas na cidade após ser a primeira a voltar ao risco alto no Espírito Santo — e disse que o aumento de testes positivos foi resultado do período de processo eleitoral não apenas no Estado, mas no Brasil inteiro.

"Estamos colhendo o resultado do processo eleitoral que tivemos. Teve alguns relaxamentos nesse período, aí estamos colhendo esse fruto agora. Nós também ampliamos o nosso poder de testagem, este pode ser um dos motivos do número de confirmados com a doença ter aumentado", disse Filippe Sampaio Almeida Cardoso.

Já em relação às ações que estão sendo tomadas, o secretário revelou que um decreto foi publicado na última segunda-feira (7) com algumas medidas para o município. "O prefeito pegou as medidas do Estado, da última portaria divulgada, e acrescentou algumas medidas, determinando sanções e penalidades para quem descumprir as novas regras, que vai desde advertência oral até mesmo cassação de alvará, multa", disse.

O secretário esclarece que as atividades presenciais nas escolas foram suspensas. "O comércio pode funcionar 6 horas por dia, das 10 às 16h. Bares e lanchonetes só podem atender por delivery", disse. 

Filippe Sampaio Almeida Cardoso.

Secretário da Saúde de Mantenópolis

"Para pessoas físicas que descumprirem com o decreto, fazendo festas, aniversários, casamentos, reuniões, é prevista uma multa de R$ 5 mil. Em caso de reincidência, é o dobro"

NÚMERO DE ÓBITOS

De acordo com o Painel Covid-19, atualizado diariamente pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), do dia 21 de maio até 26 de setembro, o município teve 8 mortes por coronavírus. De 18 de novembro até 6 de dezembro, em menos de um mês, outras quatro mortes foram registradas. "Tivemos quatro óbitos em um pequeno intervalo de dias, cerca de depois das eleições. Um colega jovem da cidade morreu com apenas 44 anos, sem comorbidades", lamentou.

Ainda segundo Filippe, vários moradores de Mantenópolis estão internados, alguns em estado grave. "Os que estão em estado grave foram encaminhados para a Grande VitóriaColatina ou Barra de São Francisco. Isso também acabou contribuindo para elevar o município para o risco alto", acrescentou o secretário.

REUNIÕES COM AGLOMERAÇÃO

Na entrevista à Rádio CBN Vitória, o secretário ainda falou que, através de algumas legislações, o Estado liberou reuniões com um número elevado de pessoas no período das eleições municipais. "Isso, às vezes, é difícil de controlar. Você libera uma reunião com 300 pessoas, é complicado, foge do controle, acaba tendo um número maior de pessoas do que o permitido, e agora vemos a consequência", falou.

Apesar das reuniões, o secretário disse que não houve comício eleitoral no município, mas que, com as reuniões tomando proporções maiores do que o permitido, segundo ele, resultou no aumento do número de casos.

COBRANÇA PARA CUMPRIMENTO DAS REGRAS

Questionado se a população mantenopolisense cumpre as regras impostas pela prefeitura, Filippe Sampaio é convicto ao dizer que "a consciência de cada um é que vai nos tirar dessa situação", e que a população adere parcialmente às regras.

"Não são todos que aderem. É lógico que, depois dessa situação que estamos agora, você consegue ver mais pessoas usando máscaras nas ruas e tomando cuidados. Percebi que no final de semana a cidade estava mais tranquila. Trabalhamos muito com a orientação, isolando os doentes, damos o atendimento necessário. Mas obrigar a pessoa é uma situação muito complicada", disse.

PEDIDO AO GOVERNO DO ESTADO

Por fim, o secretário da Saúde de Mantenópolis diz que, desde o início, o município nunca pôde flexibilizar as ações, somente endurecer. Ele reclama que sempre levou essa mensagem ao governo do Estado e ao secretário estadual da Saúde, Nésio Fernandes, e sua equipe, e diz que precisa dialogar com as autoridades.

"Algumas medidas acabam sendo prejudiciais, o comércio paga um preço que não é dele. O interior precisa ser visto de uma forma diferente, não é igual à Capital e Região Metropolitana. Eu queria pedir aqui que revissem essas medidas, principalmente para o interior. Ele precisa ser tratado de forma diferente", concluiu o secretário.

O QUE DIZ O GOVERNO DO ESTADO E A SESA

Atualização

9 de Dezembro de 2020 às 11:54

"O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde (Sesa), esclarece que todas as ações de enfrentamento à pandemia estão sendo adotadas com base em critérios técnicos e científicos, subsidiadas por especialistas de vários órgãos que integram o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC). A definição de medidas qualificadas também levam em consideração o diálogo com diversos setores da sociedade com o objetivo de reduzir a interação social, permitindo evitar o avanço da doença. Não há por parte do Governo do Estado nenhum tipo de vedação aos municípios classificados em Risco Baixo ou Moderado para que desenvolvam ações complementares capazes de evitar que alcancem o Risco Alto. Os municípios pequenos possuem características singulares e os gestores locais são autônomos para perfilar as medidas qualificadas nos diversos contextos e riscos de transmissão".

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.