ASSINE

Casagrande suspende novos concursos públicos no ES até o fim do ano

Decreto assinado pelo governador nesta quinta-feira (11) tem como objetivo manter o equilíbrio fiscal e financeiro das contas públicas. Criação de novos cargos e funções também está vedada

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 11/02/2021 às 17h44
Atualizado em 11/02/2021 às 21h16
Prova de concurso público
Prova de concurso público. Crédito: Pixabay

A realização de novos concursos públicos e a contratação de novos servidores estão suspensas até 31 de dezembro no Espírito Santo. A decisão consta no Decreto nº 4818-R, assinado pelo governador Renato Casagrande e publicado nesta quinta-feira (11) no Diário Oficial. O texto prevê diversas medidas de contingenciamento e racionalização de gastos do governo do Estado em 2021. 

A iniciativa, de acordo com o documento, se dá pela necessidade de manter o equilíbrio fiscal e financeiro das contas públicas de forma a garantir o cumprimento dos limites fixados pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Com isso, diversos editais de concursos públicos poderão ser afetados pela medida.

Para este ano, estavam previstas ao menos sete seleções.  A Lei Orçamentária Anual (LOA)), que foi sancionada pelo governador no início de janeiro, previa a abertura de concursos e processos seletivos em secretarias e órgãos com maior demanda de pessoal, como as Secretarias da Fazenda (Sefaz), Educação (Sedu) e Justiça (Sejus); além das polícias Civil e Militar, o Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo (Iases) e o Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN).

Para reverter a suspensão, o decreto determina que órgãos e entidades do Poder Executivo Estadual poderão solicitar tratamento de exceção, que será apreciado pela Comissão de Melhoria da Eficiência e Racionalização dos Gastos Públicos (CMERGP).

Uma dessas exceções é o concurso para 50 vagas de auditor fiscal da Receita Estadual. A Secretaria da Fazenda informou que está mantido o cronograma para a realização do certame. A comissão responsável pela organização das regras da seleção prevê que o edital deve ser publicado ainda em fevereiro.

O decreto também proíbe a criação de novos cargos, empregos ou funções na administração pública estadual, com exceção daqueles cuja criação seja por fusão, incorporação ou readequação de funções, que objetivem a redução de gastos. Também estão vetadas reestruturações de órgãos e entidades que impliquem em aumento de despesas.

Está proibida ainda a criação de gratificações e adicionais; a criação e implantação de Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração que impliquem em aumento de despesa; e a concessão de licença-prêmio e de licenças para tratar de interesse particular quando gerarem a necessidade de substituição do servidor.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.