ASSINE
Bia Brunow é uma jornalista que virou cozinheira. Por aqui vamos ter muita cozinha afetiva, viagens e histórias contadas entre uma garfada e outra

Baiacu: um peixe diferente, barato e super saboroso

Aprenda a preparar uma receita deliciosa com o pescado, que se destaca por sua carne branquinha, firme e sem espinhos

Publicado em 19/05/2021 às 02h03
Filé de baiacu grelhado com purê de banana-da-terra e farofa de castanha de caju, por Bia Brunow
Filé de baiacu, purê de banana-da-terra e farofa de castanha de caju. Crédito: Bia Brunow

Quando eu era mais jovem, acompanhava meu pai nas pescarias no saudoso Badalão, um barquinho toc-toc bem do fuleiro. Na época, quando baiacu puxava na linha era sinal de mudar de pesqueiro. Eu, criança, achava divertidíssimo o peixe dentucinho que inflava a barriga ao sinal de perigo.

Mas não era o peixe que trazíamos para comer. Com frequência devolvíamos ao mar e trocávamos o barco de lugar, pois diziam que os baiacus afastavam outros peixes.

A má fama do pobre baiacu também se deve ao seu veneno. No Japão, a espécie conhecida como Fugu é a mais venenosa, e talvez por isso a iguaria seja tão valorizada no local. Já o baiacu-arara, que é a espécie consumida por aqui, tem seu veneno concentrado na pele e nas vísceras.

Mesmo assim, recomenda-se muito cuidado na limpeza: o ideal é escolher o peixe inteiro e pedir para um peixeiro de confiança limpar. Apesar da existência desse veneno, são pouquíssimos os casos registrados de intoxicação.

Este vídeo pode te interessar

Redescobri o baiacu depois de velha, pelas peixarias de Vitória. É um peixe de carne branquinha, saborosa, firme e sem espinhos. Um dos mais saborosos para preparar, seja em moqueca, em ceviche, frito ou grelhado - como fiz na receita a seguir.

FILÉ DE BAIACU, PURÊ DE BANANA-DA-TERRA E FAROFA DE CASTANHA DE CAJU

Rendimento: 2 porções
Tempo de preparo: 1 hora
Nível: fácil

INGREDIENTES:

  • 2 filés de baiacu (200g cada um)
  • 1 colher (sopa) de amido de milho
  • 2 colheres (sopa) de manteiga
  • 1 banana-da-terra
  • 1 cebola cortada em cubos
  • 4 cabeças de alho fatiadas
  • 1 colher (chá) de colorau
  • Queijo minas ralado a gosto ou requeijão
  • 1 xícara de farinha de mandioca
  • 80g de castanha de caju
  • Sal e pimenta-do-reino
  • Azeite
  • 1 limão taiti

PURÊ

Corte a banana em rodelas de 2 cm. Em uma panela, refogue em um pouco de manteiga a cebola, o alho e o colorau. Acrescente as bananas, tempere com sal, pimenta-do-reino, e cubra com água. Deixe cozinhar por 20 minutos ou até que as bananas amoleçam bem. Passe por um processador ou liquidificador para uma textura mais homogênea, e finalize, ainda quente, com o requeijão ou o queijo ralado.

PEIXE

Para o peixe, basta temperar com sal e pimenta-do-reino, e salpicar um pouco de amido de milho (ou qualquer farinha de sua preferência). Use uma frigideira antiaderente para fritar os filés em azeite, no fogo médio para criar uma crostinha crocante sem ressecar o centro. Dois a três minutos de cada lado devem ser suficientes para peixes com 4 cm de espessura, mais ou menos.

FAROFA

Ao preparar a farofa, torre a farinha de mandioca na manteiga e acrescente as castanhas picadas grosseiramente. Tome cuidado com o sal, caso as castanhas já sejam salgadas Caso estejam naturais, tempere no final do processo. Gosto de servir, por cima do peixe, um vinagrete de tomate cereja, coentro e suco de limão, que traz uma dose extra de frescor ao prato.

Leia as colunas anteriores de Bia Brunow e acompanhe a colunista também no Instagram.

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.