Brasil ultrapassa 210 mil mortes pela Covid-19, mostra consórcio de imprensa

O país registrou 460 mortes pelo coronavírus e 29.133 casos da doença, nesta segunda-feira (18). O país chega a 8.512.238 de pessoas infectadas

Publicado em 18/01/2021 às 21h05
Movimentação no Cemitério Vila Formosa (SP) com abertura de novas covas devido a pandemia do novo coronavirus (covid-19)
Movimentação no Cemitério Vila Formosa (SP) com abertura de novas covas devido a pandemia do novo coronavirus (covid-19). Crédito: SUAMY BEYDOUN

O Brasil registrou 460 mortes pela Covid-19 e 29.133 casos da doença, nesta segunda-feira (18). Com isso, o país chega a 210.328 óbitos e a 8.512.238 de pessoas infectadas pelo Sars-CoV-2. O Ceará não disponibilizou dados atualizados.

Por um erro de digitação no número de mortes por Covid no Rio de Janeiro em 16 de janeiro, os dados de sábado e de domingo estavam incorretos. No último sábado, portanto, foram registradas 164 mortes no RJ e 1.039 em todo o Brasil. No domingo, foram 36 mortes no estado e 538 no país. A média móvel nos dois dias não sofreu alterações.

Os dados do país são fruto de colaboração inédita entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

Além dos dados diários, a Folha de S.Paulo também mostra a chamada média móvel. O recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução da doença, pois atenua números isolados que fujam do padrão. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.

De acordo com os dados coletados até as 20h, a média de mortes nos últimos sete dias é de 959. O valor da média representa um aumento de 36% em relação ao dado de 14 dias atrás.

Quase todas as regiões do país apresentam aumento da média móvel de mortes em relação ao dado de 14 dias atrás. Somente o Centro-Oeste e o Sul se encontram em situação de estabilidade, o que não signficado um quadro de tranquilidade.

Alagoas, Amazonas, Goiás, Minas Gerais, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rondônia, Roraima, São Paulo, Sergipe e Tocantins apresentam aumento da média móvel de mortes em relação a 14 dias atrás.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.