ASSINE
Oferecimento:
Modo de Visualização:

EUA ultrapassa 40 mil mortos por coronavírus; Itália tem menos mortes diárias

Números colocam o país como o que tem mais mortes pela doença, à frente da Itália (22.170 óbitos), Espanha (19.315) e França (17.941)

Publicado em 19/04/2020 às 20h40
Combate ao coronavírus deve combinar ações do poder público e privado
Combate ao coronavírus deve combinar ações do poder público e privado. Crédito: Denisismagilov - stock.adobe.com

O número de mortos pelo novo coronavírus nos Estados Unidos superou, neste domingo (19), a marca de 40 mil, de acordo com um levantamento da Universidade Johns Hopkins. Segundo a pesquisa, o país tem pelo menos 40.585 mortes e 742.442 casos confirmados. Com isso, as economias ocidentais agora representam cerca de dois terços dos casos de coronavírus em todo o mundo, segundo a Johns Hopkins.

Na manhã deste domingo, alguns governadores de Estados norte-americanos afirmaram ainda não possuírem capacidade suficiente de testes que permitisse a reabertura das economias. Em entrevista à NBC, o governador de Ohio, Mike DeWine, lembrou dos protestos contras as ordens de permanecer em casa e afirmou que vai fazer o que acha que é certo. "Queremos tentar reabrir a economia, mas com muito cuidado para não termos muitas pessoas mortas", disse o republicano.

O governador de Maryland, Larry Hogan, disse em entrevista à CNN que é injusto sugerir que os Estados tenham testes suficientes para avançar na reabertura, como afirmado por autoridades do governo Trump.

"Todo governador nos Estados Unidos tem pressionado e lutado para conseguir mais testes, não apenas do governo federal, mas de todos os laboratórios particulares dos Estados Unidos e de todo o mundo. E continuamos a fazê-lo", disse.

A afirmação foi corroborada pelo governador da Virginia, Ralph Northam, que disse que Trump era "ilusório" por pensar que os Estados tinham capacidade suficiente de testes para afrouxar as restrições. "Nem sequer temos cotonetes suficientes, acredite ou não", disse à CNN.

Em contrapartida, alguns Estados estão começando a reabrir a economia, como Vermont, Minnesota e o Texas, cujo governador, Greg Abbott, disse que as compras, caminhadas e alguns procedimentos médicos podem voltar ao normal na próxima semana.

No dia em que a Europa passou de 1 milhão de pessoas infectadas pelo coronavírus, a Itália teve o menor registro diário de mortes em uma semana. Nas últimas 24 horas, foram 433 novas vítimas fatais, elevando o número total de óbitos para 23.660. A quantidade de novos infectados também diminuiu para 3.047 ante os 3.491 observados ontem.

A aparente desaceleração é usada por algumas autoridades para pedir o afrouxamento das restrições. Apesar disso, o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, descartou ontem a possibilidade de reabertura da economia em algumas regiões em detrimento de outras. O período de isolamento social no país está em vigor até o dia 3 de maio.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Coronavírus Coronavírus no ES EUA itália itália Mundo

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.