ASSINE

Leitores debatem retorno de Vitória ao risco alto de transmissão da Covid

Novo mapa divulgado pelo governo do Estado trouxe nove novos municípios em risco alto, entre eles a Capital. Com isso, comércio, bares e escolas voltam a enfrentar resrições mais rígidas

Publicado em 31/05/2021 às 13h45
Movimentação no comércio de rua no Centro de Vitória
Movimentação no comércio de rua no Centro de Vitória. Crédito: Vitor Jubini

A partir de segunda-feira (31), uma série de atividades estão com medidas restritivas mais rígidas em Vitória. Isso porque a Capital voltou a figurar na classificação de risco alto no mapa da pandemia elaborado pelo governo do Estado, após passar duas semanas em risco moderado.

Com isso, o comércio de rua e os shoppings terão novamente limitação de horário para funcionar e ficarão impedidos de abrir aos domingos. As regras para restaurantes também ficam mais rígidas. Já os bares não poderão abrir as portas.  Já as aulas presenciais ficam liberadas apenas para a educação infantil e no ensino fundamental nível I (1º a 5º ano), respeitando o limite de 50% de ocupação das salas.

O retorno de Vitória ao risco alto e o consequente aumento das restrições foram assuntos bastante debatidos pelos leitores de A Gazeta. Confira alguns comentários postados nas redes sociais do jornal:

Isso é uma palhaçada total. Eles fazem as restrições, mas não vão fiscalizar. Aqui em Vila Velha, os bares e botecos estão lotados e o povo sem máscara. Isso não vai acabar enquanto a população não se conscientizar de que a situação é séria, que ainda tem muita gente morrendo por causa da Covid. (Anny Rebellatto Schlabendorff)

Óbvio que teriam mais restrições, né? Eles não deixam as coisas melhorarem um pouquinho que já saem liberando tudo. (Sami Candeias)

E vai ser assim para a vida inteira... abre, fecha, abre, fecha. O povo reclama, abre. Aí o povo comemora com pagode e tudo mais. Estamos enxugando gelo… (Gislene Griffo)

Se deixar pelo brasileiro, vai ter terceira, quarta, quinta, sexta, décima onda. E vai acabar deixando de ser pandemia para virar epidemia, que só vai afetar o Brasil, enquanto lá fora já estarão com estádios de futebol lotados. (Rafa Meneguz)

Se não mantiverem uma linha de restrição fixa, nunca vamos conseguir controlar a pandemia até que se vacine toda a população. Estudar não podemos, mas festa e eventos podem? Onde vamos parar com a educação deste país? (Diego Fadini)

Não adianta lançar um monte de medidas de relaxamento para as cidades que acabaram de voltar para o risco moderado, sabendo que se fizer isso elas vão voltar pro risco alto.Governador, vamos pensar um pouquinho. (João Vitor dos Santos L.)

Palhaçada! Sabem que não acabou a pandemia e fica nessa de fecha tudo e não fecha, para tudo e não para. Enquanto isso as pessoas vão morrendo, porque não tem vacina para todos. (Bruno Rocha)

Isso já era previsto. Oremos para tudo isso acabar logo. Mas, enquanto isso, crianças em casa. Como fica o psicológico desses anjos, com esse vai e vem? Muito triste. (Weidimara Rodrigues Ribeiro)

Palhaçada, isso sim. Se todo mundo fizesse o que tem que fazer, isso não estaria assim! Menos é mais, tá! O Brasil não pode parar. Como vamos pagar nossas contas, o supermercado e o aluguel? Acorda, Brasil. Precisamos trabalhar. (Danda Rubim Costa)

Qual é a dificuldade de vacinar a população? Não dá mais pra fingir que está tudo bem. Isso é uma palhaçada, todos os dias pessoas morrem por causa desse vírus maldito. Não adianta mais isso. Vacina para todos, pelo amor de Deus. (Amanda Campos)

Esse abre e fecha, abre e fecha está cansativo, porque os mesmos que se cuidam vão continuar em casa, e os negacionistas vão continuar com as farras. E as doenças emocionais aumentam a cada minuto. (Maria Aparecida Silva)

A Prefeitura de Vitória não move uma palha para restringir a circulação na Capital. Está aí o resultado. Enquanto Viana foi para o risco baixo, Vitoria retrocede para o risco alto. (David A. Monteiro)

Faz um decreto por duas ou três semanas e acha que vai melhorar, mas infelizmente não vai. O povo não respeita. Faz o decreto para um ou dois meses logo, assim sofre de uma vez, não aos poucos. (José Carlos Barbosa)

Tá virando bagunça. Uma melhoradinha que ocorre e o governo volta com tudo ao normal. Impossível normalizar desse jeito. Tem que funcionar, mas mantendo restrições até todos estarem vacinados. Daqui a pouco volta ao risco extremo. (Eliane Dossi)

Não vejo nenhuma atitude do Casagrande para diminuir a aglomeração no Transcol. O povo tem que trabalhar, mas nada é feito para diminuir a aglomeração nos ônibus, que estão sempre lotados. Triste. (Marinete Christo)

Eu sabia que iria acontecer tudo de novo. O brasileiro não tem maturidade para coisas sérias. Voltamos à estaca zero de novo, igual no ano passado. Meu Deus, até quando vamos ficar assim, sem expectativa?! (Marisa Gonçalves Buteri)

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.