ASSINE

Moradores de Cariacica pedem redutor de velocidade na Leste-Oeste

Apesar de existirem placas de sinalização em diversos pontos, a população que mora na região afirma que elas não são suficientes para garantir segurança no local

Publicado em 09/10/2020 às 21h55
Trecho da Leste-Oeste onde carreta tombou com produto químico segue interditado
Trecho da Leste-Oeste onde carreta tombou com produto químico na terça-feira (06). Crédito: Reprodução/TV Gazeta

Após constantes acidentes registrados na rodovia Leste-Oeste, em Cariacica, como o tombamento de uma carreta que transportava água-oxigenada, ocorrido na última terça-feira (06), moradores de bairros às margens da pista, como Campo Belo I e II, reclamam da imprudência no trânsito no local e pedem redutores de velocidade na via.

De acordo com apuração do repórter Aurélio de Freitas, da TV Gazeta, alguns moradores reclamam inclusive de abalos na estrutura das casas, como trincas e rachaduras espalhadas pelos cômodos. Um destes casos é o da dona de casa Arlete Neves. "Já é o quarto carro que tomba aqui, balança tudo na casa. Já até reformei a parede aqui, mas vem outro acidente e trinca de novo", contou.

Na extensão da via, a Leste-Oeste já apresenta problemas. Na reta que vai de Vila Velha a Cariacica, por exemplo, uma passarela de pedestres foi danificada após um acidente. A Leste-Oeste é uma rodovia sinuosa, ou seja, com muitas curvas. Há placas de sinalização em diversos pontos, mas para a população elas não são suficientes. Os ciclistas e aqueles que usam as calçadas para atividades físicas também reclamam do local, apontando que a imprudência dos motoristas e o excesso de curvas tornam coisas simples, como a prática de esportes, um desafio. De forma geral, a população pede um redutor de velocidade no local.

Passarela destruída em trecho da Leste-Oeste
Passarela destruída em trecho da Leste-Oeste. Crédito: Divulgação | TV Gazeta

AVALIAÇÃO DE ESPECIALISTA

Em outro ponto da rodovia, motoristas e moradores criticam a qualidade do asfalto, em que há muitos trechos com rachaduras, formando buracos. O engenheiro Apríglio Barreto, especialista em infraestrutura, fez uma avaliação do local. "A Leste-Oeste como engenharia não tem um erro, sendo uma rodovia com características de estradas, em um perímetro urbano em que há raios de curva desenvolvidos para veículos de projetos, onde atritos e velocidades são consideradas para o conforto do tráfego. Se trafegada dentro dos limites de projeto que foram estabelecidos, ela não oferece risco ao usuário", iniciou.

No entanto, para Barreto, quando uma estrada de pista dupla e com boa visibilidade está inserida em um perímetro urbano, os motoristas tendem a desenvolver uma velocidade acima da projetada, ação que compromete a segurança da via. "Você sai da zona de conforto, da característica de segurança que a estrada oferece, quando está dentro dos limites e acaba se expondo ao risco. O que acontece ali é uma exposição ao risco causada por imprudência", explicou.

Demandado pela reportagem da TV Gazeta, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) informou que a rodovia Leste-Oeste não tem problema técnico e é sinalizada. O órgão apontou ainda que o trecho em Cariacica já está aberto ao tráfego há quase 10 anos e que os últimos acidentes foram casos isolados. O DER orienta os motoristas, especialmente os caminhoneiros, que passam pela rodovia com cargas pesadas, que respeitem o limite de velocidade. Apesar disso, o departamento informou que mesmo assim enviará uma equipe técnica para fazer a avaliação do local.

CARRETA TOMBADA FICOU MAIS DE 15 HORAS NO LOCAL

Uma carreta que transportava água oxigenada tombou na Rodovia Leste-Oeste, em Cariacica, na terça-feira (6). O motorista do veículo teve ferimentos leves e foi socorrido pelo Samu, mas o trânsito ficou interditado por mais de 15 horas no local.

O acidente aconteceu entre os bairros Campo Belo I e II, nas proximidades da passarela de pedestres, no sentido Cariacica-Vila Velha. O Corpo de Bombeiros foi acionado para realizar a limpeza da pista e conter o vazamento de água-oxigenada. 

De acordo com a repórter Gabriela Ribeti, da TV Gazeta, o cheiro da água oxigenada era forte e moradores relataram que algumas pessoas chegaram a passar mal, por conta do odor que se espalhou na região. O motorista da carreta chegou a ficar preso na cabine do caminhão e foi ajudado por populares, que precisaram quebrar o vidro do para-brisa para retirá-lo. Ele teve uma queimadura no braço.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Cariacica DER-ES trânsito Rodovia Leste-Oeste

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.