ASSINE

"É incalculável", diz prefeito de Iconha sobre prejuízos com enxurrada

Município foi o mais afetado pelas chuvas que atingiram a região Sul no fim de semana. Defesa Civil da cidade conta com ajuda de municípios vizinhos para fazer vistoria em imóveis atingidos pela água

Publicado em 19/01/2020 às 12h42
Atualizado em 19/01/2020 às 16h38
Enchente em Iconha. Água baixou e cidade ficou cheia de lama. Crédito: Foto do leitor/Lucas Knupp
Enchente em Iconha. Água baixou e cidade ficou cheia de lama. Crédito: Foto do leitor/Lucas Knupp

Dois dias após a  chuva que provocou uma enxurrada em Iconha, Sul do Espírito Santo, o trabalho de limpeza de ruas e imóveis, além da reconstrução, marca o domingo na região. O centro da cidade foi devastado pelas fortes chuvas na noite da última sexta (17) e madrugada do sábado (18). O município continua com muitos locais sem energia, o que impede a comunicação com parentes e amigos moradores de regiões distantes do centro. Segundo o prefeito de Iconha, João Paganini, ainda não há como mensurar prejuízos.

João Paganini

Prefeito de Iconha

"Ainda não (contamos os prejuízos). É incalculável isso aqui. Iconha acabou. Acabou tudo"

Moradores e voluntários continuam limpando a cidade. Já equipes da EDP já estão no município neste domingo (18) para realizar os reparos na rede elétrica. Os prejuízos foram tão grandes, que as autoridades não conseguem estimar um tempo necessário para que a cidade retorne à normalidade, como afirma a coordenadora da Defesa Civil de Iconha, Nelsani Maria Rego.

"Não dá para ter uma ideia de quanto tempo isso vai demorar. É difícil você calcular. Se é 10, 15 dias. Não dá pra você calcular. Foi tudo afetado. Tudo o que você pensar", contou.

De acordo com Defesa Civil do município, 78 pessoas estão fora de casa, sendo 23 desabrigados e 55 desalojados. Cinco casas foram destruídas pelas chuvas e dois prédios estão interditados na região Central da cidade. Segundo Nelsani, agentes da Defesa Civil de outros municípios estão juntos na cidade para iniciar um mutirão de vistorias nos imóveis e demais estruturas que também possam ter sido afetadas.

"Hoje, nós vamos sair em uma equipe grande. Estamos com a Defesa Civil de outros municípios, estamos com a engenheira da prefeitura e vamos fazer uma avaliação melhor", destacou.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.