ASSINE

Drama das famílias: falta médico legista também no SML de Cachoeiro

Nesta terça-feira (18), não tem médico legista e, pela manhã, três corpos aguardavam a liberação para sepultamento. O problema acontece em outra cidade do ES. Em Colatina, um pai teve que ajudar a liberar o corpo do próprio filho

Publicado em 18/02/2020 às 13h54
Atualizado em 18/02/2020 às 13h59
Serviço Médico Legal (SML) de Cachoeiro de Itapemirim. Crédito: Reprodução/TV Gazeta Sul
Serviço Médico Legal (SML) de Cachoeiro de Itapemirim. Crédito: Reprodução/TV Gazeta Sul

Passar pela perda de um ente querido já é um momento difícil e, no Sul do Espírito Santo, a dor pode ser ainda maior quando se depende do Serviço Médico Legal (SML), que fica em Cachoeiro de Itapemirim, para liberação do corpo. No local não tem médico legista todos os dias da semana e, em alguns casos, as famílias precisam aguardar o plantão do profissional ou levar até Vitória, na Capital do Estado. Nesta terça-feira (18), não tem médico legista e, pela manhã, três corpos aguardavam a liberação para o sepultamento.

O drama acontece também acontece em outra cidade. Nesta segunda-feira (17), o Serviço Médico Legal (SML) de Colatina, no Noroeste do Estado, ficou sem água e ainda não tinha alguns funcionários, atrasando a liberação dos corpos. Parentes e amigos de alguns mortos precisaram colaborar com os trabalhos de liberação dos cadáveres para agilizar o processo

CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 

Um dos corpos que esperam por liberação em Cachoeiro é o do Adenilton Almeida de Souza, de 32 anos, que morreu em um acidente, na noite desta segunda-feira (17). O pai dele, João José de Souza, falou sobre a dificuldade que a família estava enfrentando para liberar o corpo do filho e que as opções seriam aguardar até quinta-feira (20), quando é o próximo plantão do médico legista, ou levar até Vitória por conta deles.

João José de Souza

Pai que espera para liberar corpo do filho

"O mais rápido possível que conseguir resolver essa situação é melhor, para enterrar logo. Não vai adiantar nada esperar, não vai trazer meu filho de volta. Isso é uma coisa que está acontecendo que eu não concordo."

Em busca de uma solução e que não custasse além do que a família pudesse arcar, o pai informou que conseguiu solicitar um plano funerário, por meio do local onde o Adenilton trabalhava. O corpo de Adenilton será levado para Vitória nesta tarde (18).

A Polícia Civil reconheceu que não há médicos legistas todos os dias no SML de Cachoeiro e que os corpos só são encaminhados para Vitória em casos específicos. Disse ainda que irá transportar, nesta terça-feira (18), os três corpos presentes em Cachoeiro para Vitória e que retornarão no mesmo dia.

CONFIRA A NOTA DA POLÍCIA CIVIL NA ÍNTEGRA:

“A Polícia Civil informa que trabalha para garantir todos os serviços em funcionamento à população. Em dias em que não há médico legista no plantão, existe a possibilidade de realizar a liberação, em casos de menor complexidade, no plantão subsequente do Serviço Médico Legal, sem necessidade de deslocamento, como foi sugerido no caso em questão. Em alguns casos, por opção das famílias, o corpo pode ser enviado ao DML, em Vitória, para a liberação. Entretanto, o deslocamento até Vitória só é imprescindível quando são necessários exames mais complexos, que não podem ser realizados nas unidades do Serviço Médico Legal (SML) do interior do Estado.

Na data de hoje (18), há três corpos aguardando liberação no SML de Cachoeiro de Itapemirim. Todos os cadáveres serão encaminhados para Vitória com o uso do veículo de transporte de cadáveres (rabecão) da Polícia Civil, para que sejam necropsiados e, ainda hoje, retornarão para Cachoeiro de Itapemirim, para que as famílias prossigam com a liberação. A assessoria não tem autorização de passar informações sobre identificação e liberação de corpos, essas informações só são passadas com autorização das famílias das vítimas.

Cabe ressaltar que o concurso público em andamento para preenchimento de cargos na Polícia Civil oferta 173 vagas, dentre as quais, 15 para médico-legista, 50 para perito oficial criminal e 20 para auxiliar de perícia médico-legal. A Polícia Civil também tem trabalhado, conjuntamente com a Secretaria de Estado de Segurança Pública, no desenvolvimento de um projeto que vai padronizar os Serviços Regionais de Polícia Técnico-Cientítica. O projeto permitirá a descentralização de alguns laboratórios que compõem a polícia técnico-científica, hoje existentes apenas na Grande Vitória, de forma que a Polícia Civil dará respostas mais rápidas à população do interior", finaliza a nota.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.