ASSINE

MDB nacional cancela eleição do partido no ES e mantém Lelo presidente

Em mais um capítulo da eleição do MDB no ES, o presidente nacional do partido, Baleia Rossi, afirmou que a convenção realizada no último domingo (16) não tem validade e acusou "interferências externas de membros não filiados" na eleição

Publicado em 20/02/2020 às 14h36
Atualizado em 20/02/2020 às 14h36
Urnas utilizadas em votação na Praça Getúlio Vargas, em Vitória, para escolher comando do MDB no ES . Crédito: Vitor Vogas
Urnas utilizadas em votação na Praça Getúlio Vargas, em Vitória, para escolher comando do MDB no ES . Crédito: Vitor Vogas

O Diretório Nacional do MDB determinou o cancelamento da convenção do partido no Espírito Santo, realizada de maneira improvisada com urnas de papelão em Vitória no último domingo (16). Desta forma, o ex-deputado federal Lelo Coimbra (MDB) permanece no comando do MDB no Estado provisoriamente pelos próximos 90 dias. 

O comunicado com a decisão da sigla foi divulgada na quarta-feira (19). O documento assinado pelo presidente do partido, o deputado federal Baleia Rossi (MDB), revela que um funcionário da legenda foi enviado ao Espírito Santo para acompanhar a disputa. 

O observador relatou o clima de “insegurança jurídica” por conta da inscrição da chapa, sub judice, do ex-deputado federal Marcelino Fraga (MDB); do número de delegados municipais não homologados pelo partido; e “pelas nítidas interferências externas de pessoas não filiadas ao partido”.

Houve ainda, segundo o observador, incerteza sobre o número de votantes e a inscrição de diretórios junto à Justiça Eleitoral um dia antes da convenção. Em entrevista ao colunista Vitor Vogas, Lelo acusou o governador Renato Casagrande (PSB) de interferir na eleição e ligar para lideranças do interior, orientando que votassem em Marcelino, a revelia de Coimbra.

O comunicado não fixa a data ou dá qualquer previsão para a realização de novo pleito. De acordo com o documento, a eleição para a executiva estadual está suspensa “até que o quadro de incertezas seja estabilizado”.

Advogado da chapa de Marcelino Fraga, Luciano Ceotto sustenta que a decisão divulgada por Baleia Rossi não muda o cenário da eleição no Estado e que será o Judiciário, que já julga a validade do pleito com os votos feitos em urnas de papelão, que irá definir quem ficará no comando do partido.

“A eleição já está judicializada, o Marcelino aguarda a decisão da Justiça e respeitará o que for decidido. Até a decisão ser tomada, não vamos fazer nada em relação ao comando provisório do partido. Agora, a gente entende que não é da competência do presidente do partido cancelar ou não uma convenção estadual”, afirmou.

A defesa da chapa de Lelo também se manifestou e alegou que a eleição do domingo não está sendo considerada, já que não respeitou os ritos do partido e foi feita de maneira improvisada, sem resguardar a transparência do pleito e sem garantir o sigilo do voto.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Renato Casagrande paulo hartung MDB

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.