ASSINE

Servidor de prefeitura do ES é preso suspeito de exercício ilegal da medicina veterinária

Denúncias apontam que o homem se passava por veterinário e estaria realizando procedimentos, como castrações, sem capacidade técnica, causando problemas de saúde e até a morte de animais atendidos

Publicado em 22/09/2021 às 11h49
Material apreendido na casa de homem preso por exercício ilegal da medicina veterinária
Material apreendido na casa de homem preso por exercício ilegal da medicina veterinária. Crédito: Reprodução

Um servidor da Prefeitura de Domingos Martins, de 56 anos, foi preso por exercício ilegal da medicina veterinária. A prisão aconteceu em uma ação conjunta da Polícia Civil, com o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado do Espírito Santo (CRMV-ES) e a CPI dos Maus-tratos aos Animais, da Assembleia Legislativa, que cumpria um mandado de busca e apreensão na casa do investigado. As denúncias apontam que o homem se passava por veterinário e estaria realizando procedimentos, como castrações, sem capacidade técnica, causando problemas de saúde e até a morte de animais atendidos.  Segundo informações da Polícia Civil, ele foi autuado por exercer ilegalmente a profissão de médico veterinário.

A prisão aconteceu na manhã desta quarta-feira (22), no município de Marechal Floriano, durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão na casa do investigado. De acordo com a presidente da CPI dos Maus-tratos aos Animais na Assembleia, deputada Janete de Sá, o homem foi preso após os agentes encontrarem todo o material utilizado para o exercício ilegal da profissão.

“No local, foram encontrados materiais cirúrgicos, instrumental, fios, bisturi e medicamentos anestésicos de uso privativo de médico veterinário, razão pela qual o investigado foi preso por exercício ilegal da profissão e conduzido para a delegacia local onde confessou estar realizando a castração de animais sem habilitação, caracterizando crimes de charlatanismo e maus-tratos de animais”, disse.

Servidor de prefeitura é preso suspeito de exercício ilegal da medicina veterinária

Ainda de acordo com a deputada, as denúncias recebidas pela CPI apontavam que os animais sofriam mutilações e alguns não resistiram após a realização dos procedimentos pelo investigado.

“As denúncias feitas à CPI davam conta de que um homem, que se passava por veterinário e atendia em domicílio, estaria realizando castração de animais sem capacidade técnica, por não se tratar de médico veterinário, o que estaria causando problemas de saúde, sofrimento, mutilações e óbitos em animais atendidos”, contou.

De acordo com informações da polícia, o servidor foi conduzido à Delegacia de Polícia (DP) de Marechal Floriano, onde assinou um Termo Circunstanciado (TC) por exercício ilegal da profissão e foi liberado. As investigações apontam ainda que ele causou problemas de saúde e óbitos em animais que foram castrados. O caso segue sob apuração.

O homem preso, de 56 anos, foi identificado como servidor da Prefeitura de Domingos Martins, lotado na Secretaria de Desenvolvimento Rural.

O QUE DIZ O MUNICÍPIO

Em nota, a Prefeitura de Domingos Martins informou que nunca recebeu denúncias ou reclamações envolvendo o servidor. "De todo modo, a prefeitura acompanhará as investigações e se reserva ao direito de instaurar procedimento administrativo disciplinar para apurar as supostas ações ilícitas apontadas", garantiu.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.