ASSINE
Oferecimento:
Modo de Visualização:

Polícia conclui inquérito sobre a morte de Erica Bonometti, em Guaçuí

O inquérito será remetido à Justiça na próxima quinta-feira (07) e polícia continua à procura de Manoel Victor Almeida da Silva, ex-marido da vítima

Cachoeiro
Publicado em 05/01/2021 às 17h41
Erica e Manoel Victor
Erica e Manoel Victor. Crédito: Redes sociais

Polícia Civil informou nesta terça-feira (5) que o inquérito policial sobre a morte de Erica de Jesus Bonometti foi concluído com o indiciamento do suspeito por feminicídio. Manoel Victor Almeida da Silva, ex-marido de Erica, que é o principal suspeito de ter matado a ex-mulher no dia 15 de dezembro, em Guaçuí, no Caparaó Capixabacontinua foragido.

Ainda segundo a polícia, o inquérito será remetido à Justiça na próxima quinta-feira (7), após o fim do recesso judicial, e diligências continuam sendo realizadas com o objetivo de localizar o suspeito. O pedido de prisão preventiva foi representado pelo delegado responsável pelo caso e expedido pelo poder judiciário no último dia 18.

Para a mãe de Erica, Angelina Bonometti, a esperança é que a justiça seja feita e que o caso da filha sirva de alerta para outras famílias. “Eu quero que a Justiça faça alguma coisa, mas se a Justiça da terra falhar, eu tenho certeza que a de Deus não falha. Espero que a justiça seja feita, não só para nós, mas para todos os outros casos. A lei tem que ser mais rigorosa. Ele falou que se ela registrasse queixa, ele ia pegar ela. Ele ameaçou e fez”, disse.

Angelina contou também que tem tomado remédio para lidar com a dor de ter perdido uma filha. “Estou tomando remédio ainda. Quando a gente começa a analisar tudo, nem consegue dormir. É muito difícil. Muito triste o que aconteceu. Eu pedia para Deus que não tirasse nenhum filho de mim, antes de mim, e agora, eu fico me perguntando: 'Por que, meu Deus?'. É muito triste uma mãe enterrar um filho. Meu coração está queimando”, finalizou a mãe de Erica.

O CASO

Erica de Jesus Bonometti, de 31 anos, foi encontrada morta na tarde de 15 de dezembro, na estrada de São Romão, zona rural de Guaçuí, no Caparaó Capixaba. Segundo a Polícia Militar, Manoel Victor Almeida da Silva encontrou a vítima vindo de Dores do Rio Preto com uma amiga que dirigia o veículo. Para conseguir pegar a ex-mulher ele provocou uma colisão com o carro, tirou ela a força e obrigou que ela fosse para o veículo dele.

Momentos depois os policiais foram informados que um corpo havia sido encontrado na estrada rural em direção a São Romão. Quando chegaram ao local, confirmaram ser o de Erica. O carro que Manoel Victor usava na hora que sequestrou a ex-mulher foi apreendido.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.