ASSINE

Polícia Civil prende suspeitos de sequestro e tortura em Apiacá

O caso teve repercussão depois que um vídeo, retratando as agressões, viralizou pelas redes sociais. Segundo as investigações, três homens, de 29, 33 e 36 anos, sequestraram um indivíduo de 25 anos em Bom Jesus do Norte e o levaram para Apiacá, onde o torturaram

Publicado em 27/02/2021 às 16h51
Viatura da Polícia Civil do Estado do Espírito Santo
Viatura da Polícia Civil do Estado do Espírito Santo. Crédito: Carlos Alberto Silva

Dois homens suspeitos de sequestro e tortura foram detidos pela equipe da Delegacia de Polícia (DP) de Bom Jesus do Norte, no final da tarde dessa sexta-feira (26). O crime ocorreu em Apiacá, no mês de passado.

O caso teve repercussão na região depois que um vídeo, retratando as agressões, viralizou pelas redes sociais. Segundo as investigações, três homens, de 29, 33 e 36 anos, sequestraram um indivíduo de 25 anos em Bom Jesus do Norte e o levaram para Apiacá, onde o torturaram.

“No vídeo, os agressores exigiam que a vítima dissesse onde estaria o cordão de ouro que ele tinha roubado de um dos suspeitos. Ao tomar conhecimento dos fatos, imediatamente iniciamos as investigações e identificamos todos os envolvidos”, relatou o titular da DP de Apiacá, delegado Sandro Zanon.

Com a investigação concluída, o delegado remeteu o inquérito policial ao Ministério Público, com indiciamento dos três envolvidos pelo crime de tortura mediante sequestro e representação pela prisão preventiva de todos eles. O poder Judiciário expediu os mandados de prisão na última quinta-feira (26) e dois suspeitos foram presos na sexta. O terceiro ainda não foi localizado.

VÍTIMA TAMBÉM É INVESTIGADA

Ao identificar os envolvidos, o delegado responsável pelas investigações também instaurou inquérito para apurar duas possíveis condutas delituosas cometidas pela vítima. Em depoimento, um dos autores da tortura afirmou que o agredido teria roubado seu cordão, o que foi comprovado ao longo da investigação.

“O agredido alegou que recebeu o cordão como pagamento por um programa, mas o agressor afirmou que foi roubado, e que o agredido tinha puxado a joia de seu pescoço num momento em que se cruzaram pela rua. Na investigação, constatamos que a segunda versão era verídica, e indiciamos o agredido pelo crime de roubo”, afirmou o delegado.

Cerca de duas semanas, depois que o vídeo da tortura veio a público, outras imagens circularam pelas redes sociais, dessa vez mostrando a vítima da tortura agredindo um idoso. “Este caso depende de representação por parte do idoso. Caso ele tenha interesse em representar criminalmente contra seu agressor, a orientação é que ele procure a Delegacia de Bom Jesus do Norte, local em que se deu o fato, para que possa registrar um Boletim de Ocorrência e, dessa forma, a Polícia Civil poderá adotar as medidas cabíveis”, disse o delegado.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.