ASSINE

PM prende suspeitos de assassinato na Ilha do Príncipe, em Vitória

O crime aconteceu na madrugada desta terça-feira (29), horas depois de quatro pessoas serem mortas em uma ilha na Baía de Vitória

Publicado em 29/09/2020 às 22h00
Apreensão de armas na Ilha do Príncipe, Vitória
Apreensão de armas na Ilha do Príncipe, Vitória. Crédito: Glacieri Carraretto

Três criminosos armados foram detidos pela equipe da Força Tática do 1º Batalhão, na Ilha do Príncipe, em Vitória, como suspeitos de participarem de um assassinato durante a madrugada desta terça-feira (29). A vítima foi um jovem do sexo masculino, executado com mais de 30 tiros.

Os detidos – um adolescente de 16 anos e dois jovens de 22 e 23 anos – foram surpreendidos pelos militares na altura do Beco da Amélia portando armas e munição. De acordo com o tenente Xavier, comandante de Policiamento de Unidade do 1º Batalhão da PM, os suspeitos integravam o bando que cometeu o assassinato da madrugada e também participariam de outro ataque na comunidade.  

"Sabemos que quando há ataque é feito por um grupo, uns atiraram e outros permaneceram no bairro durante todo o resto do dia. Por isso, mantivemos o patrulhamento na região durante todo o dia, até que chegou uma denúncia de que um grupo armado estaria no beco, que são esses três detidos. Eles aguardavam o restante do bando para, agora à noite, cometer outro ataque na Ilha do Príncipe", explicou o tenente Xavier. 

No momento da abordagem, os três tentaram escapar correndo e pulando muros de moradores da comunidade. Porém, os militares da Força Tática já haviam montado um cerco na região. Com os suspeitos foram apreendidas uma pistola calibre .40, uma submetralhadora semicaseira e uma escopeta calibre 12, além de munições e dois coletes contra balas. 

"Acreditamos que fossem dar prosseguimento a outro ataque. Os crimes são uma busca pelo domínio da região, que tem acesso da rodoviária, de Cariacica e de Vila Velha e que tende a oferecer muito lucro no tráfico de drogas", explicou o tenente.

Xavier acredita que o fato de horas antes ter ocorrido uma chacina na Ilha Dr. Américo, na Baía de Vitória, na altura de Santo Antônio, colaborou para que a região ficasse desguarnecida de policiais. "Geralmente, fazemos o fechamento das duas entradas e saídas, então, não tem como os criminosos invadirem. Porém, com a demanda de uma chacina e também o protesto de moradores na Avenida Leitão da Silva, foi necessário desviar militares para dar reforço a esses locais", pontuou. 

O CRIME

A vítima, um jovem que estava na esquina de uma rua e é morador da Ilha do Príncipe,  chegou a correr para tentar escapar quando foi abordado por dois homens armados que abriram fogo contra ele. No local, foram apreendidas armas de dois calibres diferentes.

Policiais do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) estiveram no local, assim como peritos da Polícia Civil, para fazer os primeiros levantamentos sobre o crime. O corpo foi levado para o Departamento Médico Legal (DML) e ainda não havia sido identificado. 

Um dos detidos é morador da Ilha do Príncipe. Já os outros dois são do Morro do Cabral, em Vitória. Os detidos foram levados para o DHPP, onde prestavam depoimento até o momento da publicação desta reportagem. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
Vitória (ES) Polícia Militar armas homicídio tráfico de drogas Ilha do Príncipe

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.