ASSINE

Passa de mil o número de assassinatos registrados no ES em 2020

Faltando mais de um mês para o final do ano, a marca já é maior que as 978 vidas perdidas para a violência em 2019. Cariacica é a cidade da Grande Vitória com o maior número de assassinatos

Publicado em 22/11/2020 às 21h52
Atualizado em 22/11/2020 às 22h19
Segurança - Policial militar
Polícia Militar: secretário acredita que pandemia contribuiu para aumentar número de mortes. Crédito: Carlos Alberto Silva

Espírito Santo atingiu neste final de semana a marca dos mil assassinatos. O número já é maior do que todo o ano passado, quando 978 ocorrências foram registradas em solo capixaba.

Em 2019, o Espírito Santo havia alcançado o menor número de homicídios de sua série histórica, desde 1993. No entanto, os crimes contra a vida voltaram a crescer este ano.

Até o final deste sábado (21), haviam sido registradas 1001 ocorrências de assassinatos no Espírito Santo, segundo dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp) obtidos pelo G1. No ano passado, até essa mesma data, eram 876.

Desses 1001 homicídios, 560 ocorreram na Região Metropolitana da Grande Vitória. No mesmo período de 2019, o número total de ocorrências nesta região foi de 470.  Ou seja, houve aumento de 19,14% (90 homicídios).

Mas é na Região Serrana onde o aumento mais expressivo foi registrado de um ano para o outro. Enquanto em 21 de novembro do ano passado eram contabilizadas 35 mortes violentas nesta região, este ano o número já chega a 56. Trata-se, portanto, de um salto de 60%.

Seguindo a mesma tendência de crescimento, a Região Sul saltou de 68 mortes ocorridas no ano passado para 84 este ano (23,5%). Já a Região Noroeste passou de 105 mortes até novembro de 2019 para 109 mortes no mesmo período de 2020 (3,8%).

Somente o Norte do Estado teve queda no número de homicídios: foram 192 mortes registradas este ano, contra 198 no ano passado, uma queda de 3%.

Local de homicídio demarcado pela perícia: queda de homicídios em 2019 chegou a 11,81%
Local de homicídio demarcado pela perícia. Crédito: Agência Brasil

38 MUNICÍPIOS REGISTRAM MAIS MORTES

Dos 78 municípios capixabas, 38 registram um número de assassinatos superior ao de 2019, enquanto outros 20 mantém a mesma marca do ano anterior.

Em números absolutos, Cariacica é a cidade da Grande Vitória com o maior número de assassinatos. O município, que registrou 135 homicídios até 21 de novembro do ano passado, hoje já contabiliza 158 (um aumento de 17%).

No entanto, são as cidades de Guarapari e Vila Velha que apresentaram os maiores saltos na escalada do número de mortes em termos percentuais. Em Guarapari, as ocorrências passaram de 23 para 33 (um aumento de 43,4%). Já em Vila Velha, a contagem dos homicídios foi de 107 para 140, ou seja, 30% a mais que em 2019.

Na Serra, o aumento das mortes violentas foi de 20% (passando de 125 para 150), enquanto em Vitória, até este sábado (21), as ocorrências se mantiveram no mesmo patamar: foram 62 em 2019, assim como em 2020.

20 CIDADES REGISTRAM MENOS MORTES

Outras 20 cidades do Estado conseguiram melhora nesse indicador. É o caso de Aracruz, no Norte, que registrou 26 assassinatos até novembro do ano passado e, agora, tem 15. A redução é de 57,6%.

PANDEMIA ALAVANCOU ÍNDICES DE CRIMINALIDADE, DIZ SECRETÁRIO

Na avaliação do secretário estadual de Segurança Pública, coronel Alexandre Ramalho, as consequências econômicas e sociais da pandemia do coronavírus podem ser as responsáveis pelo aumento do número de homicídios no Espírito Santo.

De acordo com o Ramalho, cerca de 80% das mortes violentas registradas estão ligadas à disputa pelo tráfico de drogas.

Alexandre Ramalho

Secretário de Segurança Pública

"Lamentavelmente, a coisa fugiu do controle. Nós tivemos um ano diferente. Toda vez que a economia é impactada, a segurança pública sofre sérios impactos também. O que vimos diante da pandemia foi o aumento da pobreza, do desemprego e o afastamento dos jovens de uma faixa etária muito sensível, dos 12 aos 28 anos, da escola. Essa falta de contato com o mundo escolar faz com que eles se tornem presa fácil para o tráfico. Eles se rivalizam o tempo todo e hoje com poder de fogo"

Para ele, a tendência de aumento de assassinatos é observada em quase todos os Estados brasileiros. No entanto, o Espírito Santo, por meio do programa Estado Presente, continuará implementando ações nas frentes de repressão policial e de desenvolvimento social para que os números voltem a cair.

"Não é por falta de empenho. O governador tem um comprometimento muito grande com a redução dos homicídios. Esses dados são analisados em reuniões mensais com representantes de todas as forças policiais", pontuou.

Ramalho também acrescentou: "São mais de 3.200 armas apreendidas, mais de 1.110 homicidas conduzidos aos presídios. Agora é reorganizar, continuar trabalhando em todos esses eixos. Foco não falta".

Com informações do G1 Espírito Santo

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.