ASSINE

Operação Colheita: PM prende 25 pessoas e apreende armas no interior do ES

Entre os presos está um homem com mandado de prisão aberto no estado de São Paulo e três foragidos da Justiça capixaba. Operação começou em maio e vai até novembro

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 22/07/2021 às 19h16
A Polícia Militar apresentou o balanço dos primeiros 50 dias da Operação Colheita, que acontece em todo o ES
A Polícia Militar apresentou o balanço dos primeiros 50 dias da Operação Colheita, que acontece em todo o ES. Crédito: Divulgação/Sesp

A Secretaria do Estado de Segurança Pública (Sesp) apresentou nesta quinta-feira (22) o balanço dos primeiros 50 dias da Operação Colheita, realizada pela Polícia Militar entre os meses de maio e novembro com o objetivo de levar mais segurança aos produtores e trabalhadores rurais do Espírito Santo.

Durante o período, segundo a Sesp, um total de 25 pessoas foram presas de Norte a Sul do Estado, dentre as quais estão um homem com mandado de prisão aberto em São Paulo e três foragidos da Justiça capixaba.

Além disso, também foram apreendidas 15 armas de fogo. No total, os agentes realizaram 15.757 abordagens e 95 pessoas foram conduzidas a delegacias.

Abordagem da Polícia Militar a trabalhadores rurais durante a Operação Colheita

 O coronel Douglas Caus, comandante-geral da Polícia Militar no Estado, afirmou ainda que os agentes fizeram mais de 2 mil visitas a propriedades rurais. Ele explicou que já havia um trabalho de patrulhamento no campo e que a Operação Colheita trata-se de uma intensificação destas ações.

"Nós fizemos 2.081 visitas tranquilizadoras, nas quais o policial vai até o proprietário, preenche um relatório, pergunte se ele viu alguma coisa estranha, algum movimento de pessoas e veículos perto da propriedade dele. A Polícia Militar já vinha fazendo esse patrulhamento na modalidade patrulha rural. A Operação Colheita é uma quantidade de policiais a mais", disse.

O secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, coronel Alexandre Ramalho, explicou que a operação foi possível a partir de um aporte financeiro do governo do Estado de R$ 1,5 milhão para que os militares pudessem realizar as abordagens durante o período de folga. Para o secretário, a ação dos policiais leva uma sensação de segurança ao trabalhador rural.

A Polícia Militar apresentou o balanço dos primeiros 50 dias da Operação Colheita, que acontece em todo o ES
A Polícia Militar apresentou o balanço dos primeiros 50 dias da Operação Colheita, que acontece em todo o ES. Crédito: Divulgação/Sesp

"A Operação Colheita está dentro do programa Estado Presente, do governo do Estado, que visa levar segurança ao homem do campo no momento em que ele começa a ter a colheita daquilo que ele trabalhou o ano inteiro. Trabalhar com a PM em visitas preventivas, ao lado do homem do campo em um trabalho de proximidade, identificando vulnerabilidades e apoiando com o policiamento ostensivo, vem trazendo segurança a essas famílias", apontou.

Ramalho argumentou também que, durante o perído de colheita nas propriedades rurais, muitas pessoas de outros Estados vêm ao Espírito Santo. Por isso, o trabalho da Polícia é importante, segundo ele, para "filtrar quem vem fazer o trabalho braçal e quem vem com o intuito de cometer crimes".

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.