ASSINE

Mulher morta pelo ex em Cachoeiro havia registrado agressões na polícia

O suspeito, de 28 anos, pulou de uma janela após esfaquear a mulher dentro de casa, no bairro Guandu, no último sábado (8). Ele confessou o crime e segue internado sob escolta policial

Tempo de leitura: 2min
Cachoeiro de Itapemirim / Rede Gazeta
Publicado em 10/01/2022 às 15h02
Juliana Machado Alacrin, de 37 anos, foi mota pelo ex companheiro a facadas. Crédito: Reprodução/ Facebook
Juliana Machado Alacrin, de 37 anos, foi mota pelo ex companheiro a facadas. Crédito: Reprodução/ Facebook

Assassinada a facadas pelo ex-companheiro no último sábado (8), Juliana Machado Alacrino, de 37 anos, já havia registrado um boletim de ocorrência em 2020 após ser agredida com socos, segundo a Polícia Civil. A vítima foi morta em casa no bairro Guandu, em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Espírito Santo. O suspeito, de 28 anos, pulou de uma janela após esfaquear a mulher e segue internado sob escolta policial.

Segundo o delegado da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoas (DHPP) de Cachoeiro de Itapemirim, Felipe Vivas, em 2020 a vítima foi ferida com dois socos na garganta e no braço e o registrou o fato na delegacia. No sábado (8), logo após assassinar Juliana, ele confessou o crime à polícia.

“O crime aconteceu durante uma briga do casal por razões de ciúmes, ele tentou fugir pulando uma janela e sofreu uma fratura. Ela foi socorrida por uma vizinha após gritos de socorro do filho da vítima, de 5 anos. A vizinha encontrou ela caída no chão e chamou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que também socorreu o suspeito”, contou o delegado.

Este vídeo pode te interessar

Elas foram encaminhados para a Santa Casa de Misericórdia do município. Juliana Machado Alacrin morreu logo após dar entrada na unidade. A informação nesta segunda-feira (10) é de que o suspeito segue hospitalizado. Ele foi autuado em flagrante por homicídio qualificado por motivo fútil e feminicídio. Quando tiver alta médica, ele será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória em Cachoeiro.

Juliana Machado Alacrin trabalhava no setor de higienização do Hospital Materno Infantil Francisco de Assis, em Cachoeiro. A unidade e colegas de trabalho lamentaram a morte de Juliana nas redes sociais, em uma nota de pesar do hospital. Segundo familiares de Juliana, o corpo foi sepultado no domingo (9) no cemitério do bairro Coronel Borges, em Cachoeiro de Itapemirim.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.