ASSINE

Mulher caminhava com cachorro quando foi morta por vigilante em surto no ES

A dona de casa Vanilda Correia Gomes, 64 anos, morreu na tarde deste domingo (3), em Guarapari, onde morava. O suspeito do crime foi preso

Publicado em 04/10/2021 às 09h17
Vanilda Correia Gomes
Vanilda Correia Gomes, de 64 anos, morreu neste domingo (3). Crédito: Wagner Martins

A idosa Vanilda Correia Gomes, de 64 anos, foi morta enquanto passeava com o cachorro pela Rua Domingos Martins, no bairro Ipiranga, em Guarapari, na tarde deste domingo (3). O vigilante Marco Antônio Iraci, de 50 anos, foi preso pela Polícia Militar, apontado como suspeito do crime.

Embora morassem em casas próximas, segundo o advogado de Marco Antônio, Thiago Moura, o suspeito e a vítima não tinham nenhuma relação.

A informação da defesa é de que no momento do crime Marco Antônio estava em surto por causa de problemas pessoais. De acordo com a PM, Marco Antônio saiu atirando a esmo pelas ruas do bairro Ipiranga.

Marco Antônio Iraci, de 50 anos, foi preso
Marco Antônio Iraci, de 50 anos, foi preso. Crédito: Wagner Martins

Segundo a PM, antes de matar Vanilda, o vigilante teria tentado matar a própria mãe e atirado contra um vizinho, mas os dois não foram atingidos. Os militares informaram que, quando chegaram para atender à ocorrência, Marco Antônio também disparou contra eles, mas a arma não tinha mais munição e o vigilante foi detido.

O suspeito foi encaminhado para a delegacia do município. Conforme apurou a TV Gazeta, com ele, foi apreendida uma pistola 9 milímetros e munições. Há registros na Polícia Civil de duas ocorrências oficializadas na semana passada envolvendo o vigilante.

A Polícia Civil informou que Marco Antônio foi autuado em flagrante pelos crimes de homicídio, tentativa de homicídio e resistência. Ele foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Guarapari.

"Na última sexta-feira (01), o mesmo homem havia sido conduzido à Delegacia Regional de Guarapari, por envolvimento em suposta tentativa de homicídio. No entanto, naquele momento não houve materialidade para autuação em flagrante do conduzido, que foi liberado. O caso seguirá sob investigação da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Guarapari", disse a Polícia Civil, por nota.

MEDIDA PROTETIVA

Na quinta-feira (30), ele teria ameaçado a esposa, com quem mora há 27 anos e tem um filho. Ela compareceu à Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM) de Vila Velha e fez um pedido de medida protetiva de urgência. A solicitação foi encaminhada ao Poder Judiciário.

Na sexta-feira (1º), ele teria agredido um homem no município. O vigilante assinou um Termo Circunstanciado por lesão corporal.

Com informações da TV Gazeta

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.