ASSINE

Moradores ficam sem internet após furtos em torres de celular no ES

Dois suspeitos foram presos. Um deles é funcionário de uma empresa terceirizada responsável pela manutenção das torres de telefonia e dos equipamentos

Publicado em 09/08/2021 às 13h23
  • Do G1 ES

Polícia Civil apreendeu equipamentos furtados de empresa de telefonia móvel no ES
Polícia Civil apreendeu equipamentos furtados de empresa de telefonia móvel no ES. Crédito: Divulgação / Polícia Civil do Espírito Santo

Moradores de bairros da Grande Vitória e do interior do Espírito Santo ficaram sem serviço de telefonia móvel e internet após o furto de 31 conversores e desligamento das torres de telefonia onde os equipamentos estavam instalados. A prisão de dois suspeitos foi divulgada nesta segunda-feira (9) pela Polícia Civil. A ação foi feita por policiais da Delegacia Especializada de Segurança Patrimonial (DSP).

Um dos presos tem 31 anos e é funcionário de uma empresa terceirizada responsável pela manutenção das torres de telefonia e dos equipamentos. De acordo com a polícia, ele desligou uma torre e furtou o equipamento no dia 13 de junho deste ano, no bairro São Pedro, em Vitória.

Além dele, policiais prenderam um segundo homem de 25 anos por receptação do material. Ele comprava os equipamentos não só do homem preso, mas de outros criminosos que ainda estão sendo procurados. Na casa dele, em Fundão, na Região Metropolitana da Grande Vitória, foram encontrados quatro aparelhos avaliados em cerca de R$ 100 mil.

De acordo com o delegado Gianno Trindade, titular da DSP, cada equipamento está avaliado em cerca de R$ 25 mil. "Ela é uma espécie de transformador. Transforma a energia em sinal de internet e telefonia móvel", explicou.

O delegado disse ainda que das 31 torres desligadas, o maior índice de desligamento foi na Região Metropolitana, com seis torres desligadas em Cariacica e duas em Guarapari. A suspeita é que as fontes furtadas sejam utilizadas para construção de sistema de energia solar e fornecimento de internet clandestina.

As investigações continuam porque das 31 fontes, apenas quatro foram recuperadas.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.