ASSINE

Marido suspeito de matar mulher na Serra é preso no interior da Bahia

A doméstica Neuza Ribeiro Santos, de 45 anos, morreu no último sábado (6) em decorrência de agressões sofridas dias antes na própria casa em Nova Almeida

Vitória
Publicado em 08/11/2021 às 20h21
Atualizado em 09/11/2021 às 18h20

Suspeito de ter matado Neuza Ribeiro Santos, de 45 anos, o companheiro da doméstica — um homem de 44 anos — foi preso nesta segunda-feira (8), no interior da Bahia. A vítima morreu no último sábado (6), três dias após ter sido brutalmente agredida pelo companheiro na própria casa, em Nova Almeida, na Serra. O nome do homem não foi informado pela polícia.

Neuza Ribeiro Santos, de 45 anos, a empregada doméstica brutalmente agredida na Serra
Neuza Ribeiro Santos, de 45 anos, era doméstica e morreu após ser agredida pelo marido. Crédito: Reprodução | Montagem A Gazeta

Segundo a Polícia Civil do Espírito Santo, o mandado de prisão temporária foi cumprido na cidade de Teixeira de Freitas (BA), com o apoio da polícia baiana. O detido será encaminhado para Vitória, onde passará por procedimentos de praxe e, posteriormente, será conduzido para o Centro de Triagem de Viana.

Responsável pelo sistema prisional capixaba, a Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) informou que o suspeito não havia dado entrada nos presídios do Estado até a noite desta segunda-feira. A prisão temporária é válida por cinco dias, prorrogáveis por igual período.

SUSPEITO SE APRESENTOU ESPONTANEAMENTE, DIZ PC

De acordo com a delegada à frente do caso, Raffaella Almeida, titular da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM), o suspeito se entregou espontaneamente à Polícia na cidade baiana. "A polícia na Bahia ligou afirmando que o autor estava na delegacia, até porque já estava percebendo que estávamos no encalço dele e que a prisão iria acontecer de uma forma ou outra. Mas eu já tinha representado pela prisão temporária dele e pedimos para segurá-lo. Então enviamos o mandado de prisão e a PC baiana deu cumprimento", afirmou em coletiva de imprensa realizada nesta tarde (9).

Raffaella Almeida

Delegada

"Há indícios suficientes para apontá-lo como autor. Inclusive, informalmente ele confessou o crime, tentando desqualificar a figura da vítima para justificar o que fez. Ele disse que 'tinha descoberto uma traição', o que jamais justificaria, mesmo se fosse verdade"

Segundo a autoridade policial, o mandado cumprido é de prisão temporária por estar no curso das investigações, mas, assim que for concluído o inquérito, haverá pedido de conversão em prisão preventiva. "Há indícios de que o autor seja usuário de álcool e drogas. Talvez ele estivesse sob efeito de substância e tenha tomado essa postura por já ser uma pessoa violenta. Os parentes dizem que ele era assim desde o início do relacionamento, quando percebiam Neuza machucada. Mas ela retomava o relacionamento em seguida", disse.

Prisão de suspeito de feminicídio - caso Neuza
Os delegados José Darcy Arruda e Raffaella Almeida comentaram sobre o feminicídio. Crédito: Polícia Civil

RELEMBRE O CASO

As agressões que Neuza Ribeiro Santos, de 45 anos, sofreu aconteceram durante a noite da última quarta-feira (3), dentro da casa onde ela morava, localizada no bairro Nova Almeida, na Serra. Desde o início, segundo a Polícia Militar, o principal suspeito era o companheiro dela, um produtor rural.

Ainda de acordo com a PM, a empregada doméstica foi atingida com golpes na cabeça com um pedaço de maneira ou uma barra de ferro. Pouco depois, o filho dela recebeu uma mensagem enviada pelo telefone da mãe, com os seguintes dizeres: "Estou morrendo. Preciso de ajuda, venha me socorrer".

Após ser resgatada ensaguentada no quarto pelo parente, Neuza foi levada para o Hospital Estadual de Urgência e Emergência (HEUE), em Vitória, onde ficou internada em estado gravíssimo e respirando por aparelhos na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), até o último sábado (6), quando faleceu.

Em entrevista dada à TV Gazeta durante o enterro, Tiago Ribeiro Santos – filho mais novo da vítima – disse que a família já havia alertado Neuza do comportamento agressivo do companheiro. Com o casamento marcado para março, ele afirmou que perder a mãe foi "o momento mais triste da vida".

Atualização

9 de Novembro de 2021 às 18:20

Uma coletiva de imprensa sobre a prisão do suspeito foi realizada pela Polícia Civil nesta terça-feira (9). O texto foi atualizado com falas da delegada Raffaella Almeida, à frente do caso.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.