ASSINE

Justiça mantém prisão de motorista após morte de jovem em Vila Velha

Wagner Nunes de Paulo dirigia Corolla que atingiu moto em acidente. Ele teve a prisão preventiva decretada após passar por audiência de custódia neste domingo (18)

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 18/04/2021 às 15h32
Wagner Nunes de Paulo foi preso após acidente com morte em Vila Velha
Wagner Nunes de Paulo foi preso após acidente com morte em Vila Velha. Crédito: Redes sociais

A Justiça decidiu manter a prisão de Wagner Nunes de Paulo, de 28 anos, que dirigia o Toyota Corolla que se envolveu em um acidente que levou à morte de uma jovem de 20 anos. O acidente aconteceu por volta das 19h de sábado (17), na Rodovia Darly Santos, nas proximidades do bairro Jardim Asteca, em Vila Velha.

O motorista foi detido em flagrante após a batida e foi autuado por homicídio culposo na direção de veículo automotor, crime previsto no artigo 302 do Código de Trânsito Brasileiro, como informou a Polícia Civil, por meio de nota.

Ele foi encaminhado para o Centro de Triagem de Viana no início da manhã deste domingo (18), onde passou por audiência de custódia e teve a prisão em flagrante convertida em prisão preventiva, a pedido do Ministério Público.

A defesa de Wagner de Paulo chegou a requerer a liberdade provisória, com dispensa da fiança, destacando que ele é réu primário, trabalha e possui residência fixa, e salientando que se tratava de delito culposo, ou seja, não intencional.

Entretanto, o juiz Roberto Luiz Ferreira Santos apontou que, diante da gravidade do caso, não havia como aplicar uma medida cautelar alternativa ou conceder a liberdade provisória e determinou a expedição do mandado de prisão preventiva.

ENTENDA O CASO

Amanda Marques Pinto, 20 anos, e o namorado dela, Matheus Jose Silva, 23, haviam saído da casa da mãe da jovem, no bairro Jockey, e seguiam de moto para o bairro Divino Espírito Santo, onde moravam, quando ocorreu o acidente. Era Matheus quem pilotava a moto, modelo Honda XRE 300, no momento em que o Corolla, que seguia no mesmo sentido na pista, atingiu a traseira da motocicleta, segundo a Polícia Militar.

Amanda morreu no local, enquanto Matheus foi levado por uma ambulância do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) para o Hospital Estadual de Urgência e Emergência, em Vitória, onde estava internado até a manhã deste domingo. O estado de saúde do rapaz é grave.

Wagner de Paulo se recusou a fazer o teste de etilômetro no local do acidente.

VÍDEO MOSTRA MOMENTO DA PRISÃO EM FLAGRANTE

O QUE DIZ A DEFESA

À reportagem, o advogado responsável pela defesa do motorista, Ramon Coelho Almeida, confirmou a manutenção da prisão do rapaz, mas descreveu o ocorrido como uma fatalidade.

“Foi literalmente um acidente. É uma pessoa que nunca sofreu nenhum acidente e vamos provar que foi mesmo uma fatalidade. Vamos lutar pela liberdade dele", afirmou.

Questionado sobre o motivo pelo qual o motorista se recusou a fazer o teste do etilômetro, o advogado afirmou que Wagner agiu sem pensar, diante da perplexidade em relação ao ocorrido.

“Ele contou que não parou para pensar nas consequências de negar o exame, que simplesmente estava sem reação. Mas não foi oportunizado que ele fizesse o teste de sangue ou qualquer outro tipo posteriormente. Ninguém solicitou e ele estava sem advogado, sem orientação na hora. Não foi solicitado nem na delegacia, nem no IML. Se tivessem solicitado, ele teria feito.”

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.