ASSINE

Justiça condena a um total de 400 anos de prisão acusados de matar irmãos na Serra

Cinco dos dez réus do triplo assassinato dos irmãos gêmeos Leoni e Leonei, e também Roniclei, no bairro Jardim Tropical foram condenados nesta quinta-feira (12). Os demais serão julgados em fevereiro de 2021

Vitória
Publicado em 13/11/2020 às 12h04
Serra
Todos os envolvidos foram presos pela polícia e estão sendo julgados pelo triplo homicídio. Crédito: Reprodução/TV Gazeta

Uma pena forte para um crime brutal. Nesta quinta-feira (12) a Justiça condenou  cinco dos dez envolvidos no assassinato triplo praticado contra três irmãos no ano de 2016, no bairro Jardim Tropical, na Serra. As penas aplicadas chegam a um total de 398,8 anos de prisãoNo julgamento, os réus foram condenados pelos crimes de triplo homicídio qualificado, associação criminosa e corrupção de menores. Eles foram executados com mais de 50 tiros na calçada em frente à casa onde moravam. 

No somatório de quase 400 anos de condenação, 109 deles foram para Cleber Ferreira Souza, o "Clebinho". Com 90,6 anos, Gustavo Henrique Pires de Jesus, o "Batuta", foi condenado com a segunda maior pena. Já David Oliveira dos Santos, Gabriel Almeida da Costa, o "Biel", e Fabrício Santos Loiola, o "Didico" receberam 66,4 anos de punição cada.

Os outros cinco participantes na tripla execução também encontram-se presos, porém apenas serão julgados no mês de fevereiro de 2021, já que o julgamento foi dividido em duas etapas.

Polícia Civil apurou que o crime teria ocorrido porque um dos integrantes do bando, um garoto de 13 anos, disse que um dos irmãos o "encarou" na rua e, por não ter gostado da atitude, decidiu matá-los. Apenas 15 dias após o assassinato, as 12 pessoas acusadas de envolvimento foram detidas pela DHPP da Serra. Entre elas, dois adolescentes que já foram condenados pela Vara da Infância e Juventude.

OS IRMÃOS

As vítimas foram identificadas como Leoni Lima dos Santos e Leonei Lima dos Santos, de 28 anos, que eram gêmeos e morreram abraçados. Já Roniclei Lima dos Santos, de 22 anos, tentou correr ao perceber a presença dos atiradores, porém caiu já sem vida poucos metros à frente de onde estavam os outros dois familiares. O trio foi executado no dia 4 de setembro de 2016, na Rua Carlos Antônio Daniel Tosta.

Serra
A perícia apontou que mais de 50 disparos foram efetuados contra os irmãos, que eram baianos. Crédito: Reprodução/TV Gazeta

Segundo as investigações feitas pela polícia, os irmãos eram baianos e moravam no bairro há cerca de cinco anos. Os três tinham passagem pela Justiça por tráfico de drogas e outros crimes. Poucos dias após os crimes, alguns suspeitos já haviam sido presos.

Na época, o delegado Rodrigo Sandi Mori, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, da Serra, explicou que os executores eram de três bocas de fumo da região de Jardim Tropical, que se uniram para executar os três irmãos.

Com informações da TV Gazeta

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.