ASSINE

Família rendida por presos em "saidinha" é de secretário de Itapemirim

Segundo o secretário de Interior, José Cláudio Fonseca de Oliveira, dupla apertou a campainha da residência dele e perguntou para sua esposa se a casa estava para alugar

Tempo de leitura: 3min
Publicado em 06/05/2022 às 21h04

A família feita refém dentro de casa nesta quinta-feira (5) em Itaoca, distrito de Itapemirim, no Litoral Sul do Estado, por dupla de detentos que havia deixado a prisão um dia antes em saída temporária do Dia das Mães, é do Secretário de Interior do município, José Cláudio Fonseca de Oliveira. Em entrevista para A Gazeta, ele contou como foi rendido com a esposa, a filha de 11 anos e um colega de trabalho pelos criminosos.

uma caminhonete Hilux e um Voyage foram levados pelos bandidos
Caminhonete Hilux e um Volkswagen Voyage foram levados pelos bandidos. Crédito: Leitor| A Gazeta

O secretário contou para a reportagem que, por volta das 16h50 de quinta-feira, dois homens apertaram a campainha da casa procurando por ele. “Minha esposa atendeu. Eles estavam me procurando e me chamando pelo meu apelido, que é ‘Quati’”, disse.

Segundo José Cláudio, os indivíduos queriam saber informações sobre casa para alugar, e um deles disse que soube que a residência estaria disponível por um policial que é amigo do secretário. O secretário realmente conhecia a pessoa mencionada, então a esposa conversou com eles. “Ela disse que eu tenho um apartamento para alugar, mas explicou que está em reforma. Minha esposa me ligou e eu disse que não dava para ir, porque eu estava no trabalho”, relatou.

Mesmo assim, os dois homens persistiram e falaram que esperariam por José Cláudio. Em seguida, eles perguntaram sobre a filha mais velha do secretário, que se formou em Direito e é policial militar. “Eles pediram água para minha esposa, e ela pegou, mas não abriu o portão”, contou Oliveira.

SECRETÁRIO CHEGA EM CASA

O secretário disse que chegou em casa por volta de 17h35. Os dois homens se aproximaram dele e José Cláudio questionou se eles queriam alugar a casa. Um deles respondeu que sim, afirmando trabalhar em Cachoeiro de Itapemirim e disse que a mulher dele estava ansiosa para mudar para a região.

José Cláudio Fonseca de Oliveira

Secretário de Interior de Itapemirim

"Eu disse que ia ao banheiro e os levaria para verem o apartamento. Deixei o portão encostado e, quando voltei, vi eles abordando a minha família"

José Cláudio contou à reportagem que um dos indivíduos abordou a esposa dele e a filha de 11 anos, e o outro criminoso o rendeu. “Um pedia dinheiro e arma, e falava: ‘Se eu achar arma aqui, vou mandar te matar’”, relatou o secretário.

Um homem que trabalhava com Oliveira passou perto da casa e cumprimentou ele. Por causa disso, um dos criminosos também resolveu abordá-lo. “Nós quatro ficamos presos com algemas de plástico”, informou.

Os criminosos levaram um anel de outro e um relógio do secretário, além de dois celulares e duas televisões de 42 polegadas. Para fugir, a dupla roubou dois veículos que estavam na residência: um Volkswagen Voyage e uma caminhonete Toyota Hilux. “Depois disso, eu consegui pegar uma tesoura, soltei a minha esposa e ela soltou os outros. Fui até o vizinho e entrei em contato com a polícia”, explicou José Cláudio.

CERCO POLICIAL

Segundo a Polícia Militar, um cerco policial foi montado e, durante as buscas pela região, alguns minutos mais tarde, uma viatura visualizou quando a caminhonete roubada passou pela BR 101, sentido Rio Novo do Sul. Os militares manobraram, mas o suspeito fugiu em alta velocidade. Ele foi alcançado e abordado. Com o homem, foi apreendido um revólver de calibre 32.

Na sequência, também da BR 101, militares, com ajuda de um cão da equipe K9 da PM, estavam em deslocamento pela rodovia quando se depararam com um Volkswagen Voyage trafegando na região. Ao ser abordado, o homem que conduzia o carro disse cumprir pena em regime semiaberto e que estaria em "saidinha" referente ao Dia das Mães. O suspeito contou que ele e o comparsa se conheceram no presídio e disse que foi chamado para cometer o crime.

Os suspeitos foram detidos e todos os materiais recuperados foram entregues na Delegacia de Itapemirim. Segundo a Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), os suspeitos receberam o benefício da saída temporária na quarta-feira (4) e deveriam retornar à unidade prisional de Vila Velha em 11 de maio. Após o flagrante, eles foram conduzidos ao Centro de Detenção Provisória de Marataízes.

Um dos detidos, de 29 anos, tem registros desde dezembro de 2011 por roubo. Já o outro, de 45 anos, possui registro no sistema prisional desde outubro de 2018 por furto e roubo.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.