ASSINE

Após entregador ser agredido, motoboys fazem protesto em Colatina

Entregador de comida apanhou de um empresário no Centro da cidade, após suposta demora na entrega do pedido. Agressor está preso e a fiança é de R$ 25 mil

Linhares / Rede Gazeta
Publicado em 30/11/2020 às 18h56
Atualizado em 30/11/2020 às 18h56
Após entregador ser agredido, motoboys fazem protesto em Colatina
Após entregador ser agredido, motoboys fazem protesto em Colatina. Crédito: Divulgação/Internauta

Vários motoboys de Colatina, no Noroeste do Espírito Santo, fizeram um protesto na tarde desta segunda-feira (30) em solidariedade a um entregador de comida que foi agredido por um cliente na cidade. O caso de violência foi registrado na madrugada deste domingo (29) e as agressões foram registradas por câmeras.

O agressor foi identificado como Thiago Osmar Peichinho Mageste, de 38 anos. Ele é empresário e lutador de jiu-jítsu. Segundo a Polícia Militar, o agressor disse que foi motivado por uma demora na entrega de produtos. O empresário está preso e foi definida uma fiança de R$ 25 mil para que ele responda em liberdade.

O protesto começou por volta de 16h30. Os manifestantes percorreram algumas ruas da cidade, se reuniram na frente do Fórum de Colatina e depois foram para a rua onde o empresário agrediu o motoboy, na frente do prédio onde o agressor mora. Durante a manifestação os motoboys pediam por Justiça. Veja o vídeo:

A AGRESSÃO

Um vídeo mostra quando o entregador chega com o lanche. Em seguida, o cliente aparece e começa a discutir com o motoboy, que se afasta. O homem segue o trabalhador até a moto. Em outro momento, é possível ver quando o empresário agride o jovem caído no chão.

De acordo com a Polícia Militar, a agressão aconteceu por volta das três horas da madrugada, no Centro da cidade. Quando chegaram ao local, os militares encontraram o jovem caído com muitas lesões pelo corpo. O agressor estava em casa e tentou intimidar os policiais que atenderam a ocorrência.

O entregador foi orientado a procurar por atendimento médico. Já o empresário foi encaminhado para a Delegacia Regional de Colatina e autuado pelos crimes de injúria, lesão corporal, dano e desacato à autoridade. Ele foi levado para o Centro de Detenção Provisória da cidade.

No final da manhã desta segunda-feira (30), Thiago passou por audiência de custódia. O juiz responsável concedeu liberdade provisória ao homem mediante o pagamento de uma fiança de R$ 25.000,00. “O valor se justifica pelos sinais de riqueza demonstrados, já que é empresário, com renda superior ao comum do trabalhador brasileiro”, afirmou o juiz Marcelo Feres Bressan, na decisão. Por volta das 16h desta segunda-feira a Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) afirmou que o empresário continuava detido. 

Thiago já tem outro registro policial por lesão corporal. Segundo o boletim, em 2017 ele teria agredido um entregador de farmácia durante uma discussão no trânsito.

AGRESSOR ALEGA QUADRO DEPRESSIVO

Por telefone, Daniel Jabour Baptisti, advogado do empresário, disse que Thiago apresenta um quadro depressivo devido à pandemia do novo coronavírus. Segundo o defensor, recentemente o empresário perdeu a avó vítima da doença. Ele e a mãe também foram infectados.

O advogado explicou que, no sábado (28), Thiago misturou os remédios para tratar a doença com bebida alcoólica, por isso ficou alterado, o que não justifica a agressão, segundo o advogado. Daniel Jabour Baptisti destacou ainda que o cliente dele está arrependido e que pede desculpas ao motoboy e também à Polícia Militar.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.