ASSINE

"Agarrei ele no meu colo todo baleado", diz mãe de garoto morto no ES

O titular da delegacia do município, delegado Rafael Caliman, afirmou que o menino não possui passagem pela polícia e que as investigações não descartam que, mesmo sendo alvo, o garoto possa ter sido confundido

Linhares
Publicado em 20/07/2021 às 12h04
Rosa Soares Alvarenga com o filho, morto em São Gabriel da Palha
Rosa Soares Alvarenga com o filho, morto em São Gabriel da Palha. Crédito: Arquivo Pessoal

A mãe de Vitor Alvarenga Sperandio, o adolescente de apenas 14 anos que morreu após levar tiros de uma submetralhadora na noite de segunda-feira (19), em São Gabriel da Palha, Noroeste do Espírito Santo, afirma que a família está despedaçada. Em conversa com a reportagem de A Gazeta, na manhã desta terça-feira (20), ela contou que agarrou o filho no colo todo baleado após o crime.

“Eu nem tenho forças para falar como está a família. A família está despedaçada, eu estou despedaçada, porque não temos segurança, a gente está em abandono, em todas as áreas. E com isso, meu pequeno foi embora, de 14 anos, amado por todos. A bandidagem vem e tira meu filho, confundindo ele com um vagabundo”, afirmou Rosa Soares Alvarenga, mãe do adolescente.

Rosa Soares Alvarenga

Mãe de Vitor Alvarenga Sperandio

"A única certeza é que meu filho está lá, morto. Não se sabe de nada, quem fez essa malvadeza com ele. A única coisa que se sabe é que eu agarrei ele no meu colo todo baleado"

INVESTIGAÇÃO DA POLÍCIA

Horas após o crime, o titular da delegacia de São Gabriel da Palha, delegado Rafael Caliman, afirmou que foram feitos mais de 15 disparos, efetuados por dois indivíduos em uma moto. Pelo menos quatro tiros atingiram o garoto. Caliman ainda ressaltou que o menino não possui passagem pela polícia e que as investigações não descartam que, mesmo sendo alvo, o garoto possa ter sido confundido.

Policiais encontraram mais de dez cápsulas dos tiros de submetralhadora dados em São Gabriel da Palha, na noite desta segunda-feira (19)
Policiais encontraram mais de dez cápsulas dos tiros de submetralhadora dados em São Gabriel da Palha. Crédito: Divulgação | Polícia Civil

“O menino era o alvo, mas não descartamos que ele possa ter sido confundido. Aparentemente, ele não tem nenhuma ligação com o tráfico. Foi atingido por disparos de uma submetralhadora, uma arma que está se disseminando muito aqui”, afirmou. 

PREFEITO SE MANIFESTA NAS REDES SOCIAIS

Nas redes sociais, o prefeito de São Gabriel da Palha, Tiago Rocha (PSL), divulgou uma nota de pesar se solidarizando com a família. “Vitor era conhecido de todos, por estar sempre abrilhantando nossas ruas com demais crianças e suas brincadeiras, mas nesta noite, foi abrilhantar o céu. Meu sincero sentimento a família enlutada, que Deus conforte o coração de cada um de vocês”, afirmou o chefe do Executivo municipal.

O CRIME

Segundo apontado pela perícia, o adolescente levou, pelo menos, quatro tiros na cabeça, praticamente em frente da casa onde morava. O crime aconteceu por volta das 21h. O jovem chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. O corpo dele foi levado ao Serviço Médico Legal (SML) de Colatina.

Uma outra pessoa chegou a ser atingida, mas por uma bala perdida. Trata-se de uma mulher de 64 anos, que seria vizinha do rapaz. "Dois tiros dados pelos suspeitos atravessaram a porta e um deles atingiu a mão da senhora que estava dentro da casa", contou o delegado Rafael Caliman. Ela foi encaminhada para um hospital, também em Colatina.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.