ASSINE

Morre tenente da Polícia Militar com coronavírus no ES

Marcos Jorge de França chegou a ser entubado e ficou em coma induzido em hospital de referência na Serra

Publicado em 29/04/2020 às 15h39
Atualizado em 29/04/2020 às 16h53
Tenente França estava na reserva da PM desde novembro do ano passado. Crédito: Divulgação | Polícia Militar do Espírito Santo
Tenente França estava na reserva da PM desde novembro do ano passado. Crédito: Divulgação | Polícia Militar do Espírito Santo

novo coronavírus fez mais uma vítima no Espírito Santo. Durante a madrugada desta quarta-feira (29), o tenente Marcos Jorge de França morreu em decorrência da Covid-19, depois de ficar internado por aproximadamente dez dias no Hospital Estadual Doutor Jayme Santos Neves, na Serra, cidade onde morava.

De acordo com o relato da família, ele testou positivo para a doença no último dia 15 de abril. “Em princípio, ele ficou em casa; mas na segunda-feira passada (20 de abril), ele foi para o Hospital da Polícia Militar (HPM), onde foi colocado em um respirador e transferido para o Jayme”, contou o filho Gregory Ramos de França.

Gregory Ramos de França

Filho do Tenente França

"Desde a semana passada, ele estava entubado e em coma induzido por causa da doença. Nos últimos dois dias, ele precisou fazer hemodiálise e hoje, infelizmente, ele não resistiu"

Aos 50 anos de idade, o policial militar integrava o grupo de risco do novo coronavírus por ter pressão alta e diabetes. Apesar das chamadas “comorbidades”, a imagem dele era de alguém forte para a família. “Ele era o meu herói em vida. O meu grandão descansou”, desabafou o filho, muito emocionado.

Na reserva da PM desde novembro do ano passado, ele atualmente realizava o sonho de fazer graduação em uma universidade federal. “Ele estava cursando gemologia na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). Infelizmente, ele não pode concluir esse desejo e nem aproveitar a aposentadoria”, lamentou Gregory.

Gregory Ramos de França

Filho do Tenente França

"O que eu deixo como mensagem é que as pessoas se conscientizem e cuidem dos seus. Não existe idade, crença, situação financeira. Todos nós, sem exceção, corremos risco. Algumas pessoas ficam assintomáticas, mas outras passam por um processo devastador, como no caso do meu pai"

Formado em teologia e também pastor da Assembleia de Deus, o Tenente França era casado e tinha o primogênito de 30 anos e três filhas, de 20, 17 e 11 anos. Natural de São Paulo, o policial será sepultado no Cemitério Jardim da Paz, em Domingos Martins – sem velório, devido às restrições relacionadas à Covid-19.

Diante da perda de uma pessoa querida em meio à pandemia, Gregory fez um apelo. “Essa doença é coisa séria. As pessoas estão levando na brincadeira, com aglomerações na rua. Não é só uma gripezinha. Temos que nos cuidar. Quem puder, fique em casa.”

PM LAMENTA A PERDA DO TENENTE

Em nota de falecimento publicada no site oficial durante o início da tarde desta quarta-feira (29), a Polícia Militar do Espírito Santo lamentou a perda do Segundo Tenente Marcos Jorge de França, que estava desde 1990 na Corporação. “A PM externa as condolências aos familiares e amigos”, diz o texto.

Entre os destaques feitos, está a “atuação expressiva no antigo Batalhão de Missões Especiais (BME), o que rendeu muitos elogios em sua ficha funcional” e os serviços prestados nos 5º e 7º Batalhões. Além da atuação na Diretoria de Direitos Humanos e Polícia Comunitária, antes de ir para a reserva.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.