ASSINE

Por coronavírus, velórios terão que durar no máximo 2 horas em Vitória

Em decreto publicado nesta sexta-feira (17), a prefeitura orienta que caixão fique fechado durante o funeral para evitar contato físico com o corpo. Nos casos de suspeita ou confirmação de Covid-19, caixão deverá ser mantido lacrado durante cerimônia

Publicado em 17/04/2020 às 07h33
Atualizado em 17/04/2020 às 12h49
Velório do produtor Fabrício Caus acontece no Cemitério de Santo Antônio, em Vitória
Cemitério de Santo Antônio, em Vitória: prefeitura estabeleceu regras para funerais durante a pandemia. Crédito: Geraldo Campos Jr

Para reduzir os riscos de contágio do novo coronavírus em velórios e enterros, a Prefeitura de Vitória criou regras para os funerais durante a pandemia da Covid-19. As medidas – voltadas para os prestadores de serviço funerário – constam em instrução normativa publicada no Diário Oficial do Município desta sexta-feira (17).

Entre as regras, a Prefeitura de Vitória determinou que os velórios na Capital não podem durar mais que duas horas. O acesso à sala de velório deverá ser limitado a no máximo 10 pessoas, sendo admitido o revezamento e não podendo ter aglomeração para realização de fila. Dentro do espaço, precisa ser garantida a distância mínima de 2 metros entre as pessoas.

A Prefeitura orienta ainda que o caixão fique fechado durante o funeral, para evitar contato físico com o corpo. Nos casos de suspeita ou confirmação de Covid-19, essa regra é obrigatória e o caixão deverá ser lacrado e mantido fechado durante a cerimônia.

A instrução normativa é assinada pela secretária municipal de Saúde, Cátia Lisboa, e a gerente de Vigilância em Saúde de Vitória, Arlete Frank Dutra. Ela determina ainda que o enterro deve ocorrer, se possível, no mesmo dia da morte e recomenda que pessoas com sintomas de doenças respiratórias e do grupo de risco para a Covid-19, como idosos, não participem das cerimônias.

Para o manejo e transporte de corpos de vítimas do coronavírus, os funcionários devem usar luvas, avental impermeável e máscara cirúrgica e higienizar as mãos com água e sabonete líquido imediatamente após o término do serviço. Para realizar o transporte, o corpo deve estar em saco impermeável, à prova de vazamento.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.