Coronavírus: ES já tem transmissão comunitária da doença

Informação foi confirmada pelo governador Renato Casagrande na tarde desta segunda-feira (30)

Publicado em 30/03/2020 às 16h55
Atualizado em 30/03/2020 às 20h36
Coronavírus - Covid19
Coronavírus - Covid19 . Crédito: Visuals3D/Pixabay

O governador Renato Casagrande afirmou, durante a tarde desta segunda-feira (30), que o Espírito Santo alcançou o estágio de transmissão comunitária.  "Registramos os primeiros casos de transmissão comunitária de #Coronavirus no ES. Isso ocorre quando não há como identificar a origem da contaminação. Com isso, a possibilidade de contágio atinge níveis muito mais elevados. Entramos no mesmo estágio de transmissão de SP e RJ", afirmou o governador, no Twitter. 

A transmissão comunitária é o terceiro e último estágio epidemiológico e, com isso, o Espírito Santo entra em alerta vermelho na classificação dos casos de coronavírus.  A mudança também permite que o governo estadual  adote medidas de maior restrição para conter a doença. 

"Daqui para frente, não conseguimos mais identificar de onde a pessoa pode ter adquirido o contágio do vírus. Isso quer dizer que o número de casos pode aumentar. Queremos testar o máximo de pessoas em abril, com a chegada dos novos testes, para poder planejar as ações e, nos próximos meses, reduzir o impacto do vírus no Estado", disse Casagrande, durante uma coletiva de imprensa. 

Questionado sobre quais serão os cuidados com a confirmação de transmissão comunitária, Casagrande respondeu que o isolamento social deve ser ampliado. "Isolamento social tem que se ampliar e o cuidado que as pessoas têm que ter na relação interpessoal deve ser maior. É importante que a gente alerte a população para os cuidados serem redobrados na nossa vida pessoal, familiar, na hora que vamos ao supermercado, à farmácia, acessar um ônibus", disse. 

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, não foi possível estabelecer o nexo de contato de  três pacientes  em Vila Velha. 

O QUE É TRANSMISSÃO COMUNITÁRIA?

A transmissão comunitária é uma modalidade de circulação na qual as autoridades de saúde não conseguem mais rastrear o primeiro paciente que originou as cadeias de infecção, ou quando esta já envolve mais de cinco gerações de pessoas.

Ela difere dos casos importados (quando uma pessoa adquire o vírus em viagens ao exterior) e da transmissão local (quando alguém é contaminado por contato com alguém infectado em outro país). As situações de transmissão comunitária significam que o vírus está mais disseminado, demandando cuidados mais efetivos.

Quando há transmissão comunitária, a orientação é de isolamento por duas semanas de pessoas com sintomas e das que moram no mesmo espaço de quem apresentou sinais da infecção. Isso implica ficar definitivamente em casa e evitar a todo custo não apenas aglomerações, como a circulação fora de casa.

COMO PREVENIR

Até o momento não há um tratamento específico para a doença, que é transmitida por gotículas de saliva e catarro que se espalham pelo ambiente. Por isso, é fundamental manter alguns cuidados com a higiene pessoal que também valem para afastar o risco de gripe e outras tantas doenças respiratórias.

  • Lavar as mãos frequentemente por pelo menos 20 segundos com água e sabão;
  • Utilizar antisséptico de mãos à base de álcool para higienização;
  • Cobrir com a parte interna do cotovelo a boca e o nariz ao tossir ou espirrar;
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal;
  • Limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.